encontro Publicado por www.relatoseroticos.es em 08/01/2010 em Amor Filial

" Meu corpo, como um ímã, o aviso de que você não tão perto, eles queriam se juntar a ele. Eu tinha um enorme desejo de arrancar as calças, peça-lhe para parar tudo, incluindo sua namorada, que gosta de mim havia negligenciado outros aspectos da minha vida.Foi ele quem me tinha levado a co ... "

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior
Este conto anônimo foi publicado originalmente em relatoseroticos.es. E foi traduzido automaticamente usando a tecnologia de traductor.es, pode conter erros de ortografia, erros gramaticais ou palavras não traduzidas do texto original.

.

O meu corpo, como um ímã, o aviso de que você não tão perto, ele quis unir a um enorme desejo de arrancar calças, pedindo-lhe para largar tudo, incluindo sua namorada, que gosta de mim havia negligenciado outros aspectos da minha vida. Foi ele quem me tinha conduzido a aprender coisas novas, para comprar roupas íntimas para as minhas esperanças e liberá-lo com dele, como a tirei a picadas. O que seria da minha vida? E se eu mantive tudo como estava? Mas tinha tomado uma decisão. Isso, e que eu era de um mês longe de tudo, longe dele e . mundo ao meu redor tinha o bilhete mantido na mesa de cabeceira.

eu pressionei furiosamente meus dentes eu agarrei a camisa e pulou sobre mim Eu segurei firmemente como a .. Por outro lado e apenas capaz de nervos que tinha acumulado dentro de mim foi descompactá-lo com maior habilidade à sua disposição no momento os botões de sua camisa que parecia milhas. ele também foi vigoroso. Através das calças notei um caroço impetuoso destaque com presença marcante. Essa foi a minha ruína. Minha queda de uma floresta sem dono. Ele me ajudou a tomar o cinturão ao redor dele, os botões que o aprisionaram. Puxando veementemente roupas no chão, queria ver sua camisa, calças, cuecas, tudo estava lá no meu quarto se espalhou para a maneira como ele queria oportunidade.

Eu estava em cima dele e podia sentir a óleo sobre meu corpo tinha manchado sua. Peguei o barco que estava no chão e jogou sobre ele. Nossos corpos escorregou, achou difícil ficar na mesma posição. Cada toque senti como se meu corpo respondeu com o seu poder. Eu tomei uma pequena mordida na orelha que já teve vermelho e latejante. Eu estava perto de seu ouvido para escutar sem intermitente balançando minha respiração causada por ele, por esse organismo, toda a situação que me parecia tão surreal quanto ansioso. Eu respirei e decidiu terminar esse jogo.

Pedi-lhe para fazer alguma coisa, para chamá-lo com qualquer desculpa, eu precisava estar com ele durante toda a noite, caindo a seus pés, exaustos pelo movimento ocorreu com maior intensidade com a qual ele nunca tinha feito. Naquela noite, seu corpo e sua alma tinha que ser meu. O homem naquela noite, eu tinha uma mulher que se encontram e para agradar ao dono.

Corri minhas mãos por todo o corpo, um corpo oleoso, um corpo que tinha parte do meu cheiro escondido após os poros de sua pele. Um corpo sem censura gritando o ataque de um perfume de infidelidade que eu nunca pareceu tão doce.

Eu não queria parar. Eu não acho que o tempo foi capaz de correr tão rápido. O tempo claramente não era para mim, ou eu teria deixado adeus como toda mulher deve fazer o homem que ela ama com toda a sua intensidade e que você nunca pode tomar a sua plenitude.


Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Visualizações 12538
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 558
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Afiliados