Como é gostoso ser Dominada Publicado por lloyd em 05/02/2019 em Dominação

"Sou uma mulher casada, vaidosa, gosto de me cuidar, estar bem com meu corpo, frequento academia e apesar da idade, tenho 33 anos, chamo um pouco a atenção, principalmente por causa da minha bunda. Tenho um rosto bonito, tenho 1,68 de altura, 63 kilos, cabelos lisos, olhos castanhos, coxas grossas"

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Esta é uma experiência real

Durante a última copa do mundo, meu marido combinou de assistir aos jogos junto com um grupo de amigos da câmara. Na estreia do Brasil um grupo grande se reuniu em um condomínio na casa de um deles. E assim fomos, fazia calor nesse dia, coloquei um shortinho jeans curtinho, blusinha leve, sandália discreta.

A casa era bonita, grande, aqui em Brasília há vários condomínios com um padrão de alta qualidade, com casas muito lindas. Havia muita gente, eu conhecia alguns dos amigos dele.

Mas lá acabei sendo apresentada ao Júlio, e ele acabou sendo uma companhia para os momentos que antecediam o jogo, pois meu marido se juntava a outros advogados para falar de trabalho, e eu ficava afastada. Não que eu não goste de jogos, mas os homens casados, quando bebem e querem jogar, esquecem de tudo, tudo mesmo!..

Descobri que Júlio era na verdade irmão de um dos amigos do meu marido, tem 30 anos, trabalha em um órgão de fiscalização do GDF, um morenão de 1,80mt, físico bonito e trabalhado, solteiro, e praticava “capoeira”. Conversamos muito, ele super descontraído, falante, e de certa forma galanteador, houve uma sintonia legal entre nós.

Logo após o jogo, voltamos a conversar mais um pouco, e ele acabou soltando uma cantada barata, dizendo que se fosse meu marido, assistiria o jogo comigo em casa sem problema, para poder comemorar as vitórias de forma mais “criativa”. Fingi que não entendi. Acabamos trocando telefones, e assim ele passou a me mandar mensagens diárias via WhatsApp. Esse mesmo grupo de amigos reuniu-se em todos os jogos do Brasil, cada jogo em uma casa diferente.

Na sexta que era o jogo de Quartas de Finais, Brasil x Bélgica, o grupo se reuniu pra ver o jogo na casa do Júlio, ficava em um condomínio em Vicente Pires, e tem uma linda piscina, resolveram ir cedo para fazer um churrasco, tomar um banho de piscina e aproveitar o dia.

Chegamos por volta de umas 11:00 hs, cumprimentamos a todos, inclusive ao Júlio, que usava apenas uma sunga branca, exibindo coxas fortes e bonitas. Coloquei um biquíni, azul clarinho, modelo fio dental. Os amigos de meu marido até disfarçavam, mas sempre davam um jeito de olhar pra mim, as mulheres deles me encaravam com olhares fulminantes, mas eu queria só aproveitar o sol.

Ajeitei-me numa esteira, passei meu bronzeador e fiquei ali me bronzeando. Meu marido logo se juntou a uma mesa e passou a jogar baralho e beber. Até a hora do jogo, fiquei ali pegando sol, meu marido vez por outra me trazia algo para beber e algum petisco, e voltava a jogar.

Júlio sempre vinha conversar comigo, ver se eu precisava de alguma coisa, dizia que queria me servir à altura e que eu podia ficar à vontade. Eu, de óculos escuros, olhava disfarçadamente para suas grossas pernas e para o volume em sua sunga que era bem interessante.

Durante o transcorrer do dia, Júlio acabou vestindo a bermuda, e disse que não tinha condições de ficar de sunga comigo usando aquele biquíni. Meu marido acabou se esbaldando com a bebida, chateado com o resultado negativo do Brasil, e após o jogo, estava bêbado.

Ele e mais alguns amigos, ainda beberam cerca de umas 2 horas depois do jogo, até que todos foram embora. Fiquei chateada e com vergonha. Meu marido estava deitado no sofá, já inerte. Júlio então propôs que eu deixasse seu marido descansar um pouco, pois seria muito difícil eu conseguir leva-lo sozinha.

Disse que era sexta, e que poderíamos continuar conversando. Acabei aceitando, ele me ajudou a levar meu marido para uma das suítes no andar superior, colocamos ele na cama, que não esboçou nenhuma reação. Perguntei a Júlio se podia tomar um banho, e ele me deu uma toalha.

Após o banho na suíte do quarto onde meu marido hibernava, coloquei um vestidinho que havia levado na bolsa, curtinho, coxas à mostra, e como só havia levado o biquíni, acabei ficando sem calcinha. Desci para a piscina e vi que Júlio havia tomado banho também, senti seu perfume no ar, mas o safado continuou de sunga, agora uma azul bem bonita. Assim que me viu, percebi aquele volume ganhar mais vida.

Ficamos deitados em esteiras, um ao lado do outro, bebendo e conversando, ele na maior cara de pau, disse que eu tinha um corpo lindo, que minha bunda era a que todo homem gosta de ver em uma mulher e que meu marido tinha muita sorte em me ter como esposa. Ele percebeu eu olhando para seu pau, e perguntou:

– Você gosta do que vê?

Tentei disfarçar, dizendo que ele estava entendendo errado, mas ele nem deu tempo de eu terminar, ficou de pé ao meu lado e arrancou a sunga, ficando pelado e exibindo um pau bem moreno, semi flácido, grosso, grande, com uma glande robusta, que estava exposta pra fora, já com um mel que fazia ela brilhar.

Fiquei sem reação, Ele então ordenou: – Vem comigo. Me levantei, meia que hipnotizada, e o segui, ele peladão à minha frente, um corpão grande, moreno. Fomos até um quarto na parte de trás da casa, que logo descobri que era o quarto de empregada, grande, bonito e aconchegante, uma cama de solteirão, uma mesinha de estudante, uma TV e banheiro.

Júlio disse:

– Vou lá em cima ver como está seu marido, e vou trancar a porta do quarto dele, quando eu voltar, se você estiver de volta na piscina, vou entender e não vou forçar nada e nem ficar chateado, mas se você estiver aqui, quero encontra-la nua nessa cama, deitada de bruços com essa bunda linda empinada, entendeu?

Eu balancei a cabeça afirmativamente, ele falou isso e senti minha xaninha ficar úmida na hora, eu estava sem transar a cerca de uns 20 dias, uma vez que meu marido dá mais atenção ao trabalho e aos livros de direito dele. Júlio disse isso de frente pra mim, já com o pau todo duro, e vi o quanto era realmente grande, cerca de uns 21 cm, saco todo depilado, ( meninos, mantem-se sempre depilados, assim vamos chupar vocês com muito mais vontade), um verdadeiro tesão.

Ele saiu e me deixou ali sozinha, tirei meu vestido, deitei na cama, e poucos minutos depois escuto ele entrar, eu com a cabeça no travesseiro me empinava para provoca-lo ainda mais, Júlio se colocou atrás de mim, e senti uma língua quente e ousada deslizar no meio das minhas pernas, passando pela minha buceta e indo até meu cuzinho.

O safado estava eufórico e cheio de tesão, puchou-me mais um pouco pelo quadril, colocando 2 almofadas por baixo dele e me deixando ali, à mercê de sua boca. E ele sabia como maltratar, sua língua subia e descia na minha bunda, eu com a cara no colchão, mordendo o travesseiro e desejando que ele fizesse tudo que tinha vontade. Eu gemia alto:

– ai…que tesão …que língua gostosa…hum.. safado..

 

Eu sentia minha buceta escorrer de tão molhada que estava, Júlio se concentrou na minha bunda, me castigava, mas as vezes enfiava a cara entre minhas pernas e com sua enorme língua, penetrava minha xaninha e alcançava meu clitóris, sugando com astúcia.

Mas seu alvo era mesmo meu cuzinho, e ele conseguir me deixar toda submissa ao seu jeito voraz, e assim foi por cerca de uns 30 minutos, até que não me aguentei mais, e numa das únicas raras vezes que isso aconteceu, gozei com ele me lambendo o cuzinho, e foi um orgasmo pra lá de gostoso, longo, intenso, eu gozava e ele enfiava a língua em mim, que gemia dizendo:

– …ahhh..tô gozando seu safado…hum.. tô gozando com sua língua no rabo. que tesão… que delícia..

Gozei como a tempos eu não gozava. Vi Júlio colocando um preservativo no seu enorme pau, e pensei comigo, ” é agora “, mas ele me fez ficar na mesma posição, com a bunda arrebitada com as almofadas embaixo do meu quadril, e voltou a me lamber, a me chupar, e me castigar com sua língua, ele parecia ter uma sede incontrolável de lamber meu rabo, eu era penetrada por aquela boca safada. Ele alternava entre meu cuzinho e meu clitóris, só que minha bunda era seu alvo principal. Mais uns 20 minutos nessa gostosa tortura e senti meu corpo tremer, vi que ia gozar e disse:

– ai seu safado, vou gozar de novo !!!

Acho que foi uma espécie de sinal que eu dei pra ele, que deu uma linguada gostosa e demorada na minha buceta, e então comecei a gozar pela segunda vez, só que então, de forma rápida, ele se colocou atrás de mim, segurou em minha cintura, guiou seu pau no meu cuzinho e num movimento rápido enfiou de uma vez, sem dó, sem piedade, sem pedir, apenas me enrabou. Eu gozava, estava mole, estava molhada, estava relaxada e ele se aproveitou desse momento pra me comer a bunda. Suas mãos seguraram meus cabelos cumpridos, fazendo-os de rédias, e escutei ele falando:

 

– Toma cachorra, sente meu pau nesse rabo gostoso, sente ele entrando todinho dentro de você loira gostosa.. hum.. que cu gostoso você tem, .. sua safada.. rebola no meu pau vai..

 

Essa ação rápida, e esse jeito dominador contribuíram pra prolongar meu orgasmo, foi longo, eu gozava, sentia meu líquido ensopar a almofada e ele metia sem parar, seu pau ia e vinha Eu com a cabeça levantada por ter os cabelos puxados, pedi:

– Bate na minha cara Júlio, me fode como um cavalo vai… enraba sua égua .. me bate… me castiga..quero sentir vc como um macho de verdade….

E isso atiçou ainda mais ele, que passou a dar tapas firmes ( mais sem violência ) em meu rosto. Joguei o corpo pra trás, ficando completamente de quatro e assim sentir todo o cacete me rasgando. Eu sentia um tesão imenso com ele me enrabando, isso por que ele soube me deixar relaxada, excitada e preparada para aquele momento.

Eu fiz anal poucas vezes, e nunca fiz com meu marido, pois pra mim o homem tem que merecer e conquistar, e isso o Júlio fez direitinho. Eu estava amando dar a bunda pra ele.

Júlio parou de meter, sentou-se na beirada da cama, ficando com as pernas estendidas, e me puxou, mandou-me ficar de costas pra ele, de pé entre as pernas, e fui então sentando em seu pau, novamente meu cuzinho era preenchido por aquele pedaço de carne morena, e que tesão eu sentia.

Eu comecei a sentar e levantar devagar, provocava-o, queria dar prazer aquele macho. Fiz ele entrar todinho e fiquei sentada, sentindo ele pulsar, a mão dele brincava em meu grelinho, minhas pernas estavam molhadas com meu liquido de tesão.

– Você é uma puta sabia?.. Repete pra mim escutar.. ” eu sou uma puta “

E eu disse:

– Eu sou uma puta…!

Júlio: – Agora diz, ” sou uma puta que gosta de rola grande na bunda ”

Eu : – “…sou uma puta que gosta de rola grande na bunda …”

Sem tirar o pau de dentro de mim, ele ficamos de pé, ele me jogou debruçada na mesinha e voltou a foder com força, a meter com um macho dominante, sua mão vinha de encontro ao meu rosto, e eu sentia o tapa firme, ora de um lado, ora de outro, e num momento mágico, que poucos conseguem chegar, tivemos juntos um orgasmo maravilhoso, eu chegava eu meu terceiro gozo sendo apenas enrabada.

Seu pau inchou e ele gozou com o pau todo dentro do meu rabo, despejando uma enorme quantidade de leite na camisinha, minhas pernas ficaram pra lá de molhadas, vi ele arrancar o preservativo completamente cheio de leite. Nos beijamos, eu estava queimando de calor, ele tb.

Saímos do quarto e demos um mergulho na piscina para refrescar.. Ficamos cerca de uns 15 minutos, e então ele saiu, tomou um banho no chuveirão e voltou ao quarto, eu tb saí, tb tomei uma chuveirada fria, e fui para o quarto. Assim que entrei, vi aquele macho sentado na cama, o pau já dava sinal de vida novamente e eu resolvi ajudar. Fui até ele e fiquei de pé entre suas pernas, beijei sua boca, em seguida ele mamou meus seios, mordiscava de leve os biquinhos, engolia-os.

Fui me abaixando e fiquei de joelhos entre suas pernas, e passei a fazer aquilo que tanto gosto e sei fazer: “Chupar um Pau”. Primeiro eu lambi suas coxas, sou gamada em coxas grossas e torneadas, eu passava a língua nelas e isso deixava ele nervoso de tesão. Depois me concentrei em seu enorme saco depilado, hummmm, que delícia de saco, bolas grandes, eu lambia, me esbaldava, passava o rosto em suas bolas.

Enquanto chupava seu saco, senti o gosto de seu líquido lubrificante, era seu pau que babava e escorria, e então fiz minha língua ir subindo, deslizando por aquele líquido sabor “macho” até chegar na cabeça toda babada. Passei a língua em volta, misturando minha saliva e seu creme, afastei um pouco fazendo um fiozinho entre minha boca e seu pau, o que deixa os homens malucos de tesão.

Voltei a cabeça e a engoli, sentido o gosto completo de macho na boca, e aos poucos fui fazendo seu pau entrar na minha boca, cm por cm, era um pau grosso, grande, mas eu estava inspirada por todo o tesão que ele havia me proporcionado até ali, e com um pouco de dificuldade, fiz todo ele entrar na minha garganta, e pude escutar ele dizendo:

– Não acredito que você consegue fazer isso…! Que puta safada você é !!

Tirei-o da boca e disse:

– Sua próxima gozada vai ser assim, dentro da minha boca meu macho safado !

E voltei a mamar, eu passava a língua em toda sua extensão, ia até o saco e subia devagar, sentindo todo ele pulsando, ficava mamando só a cabeça, sentido ela lisa e vibrante, punhetava aquela tora morena usando minha boca, fazendo-o às vezes sumir inteiro dentro da boca. Júlio gemia, me xingava, segurava em meus cabelos e forçava seu pau na minha boca, as vezes segurava ele e batia na minha cara, esfregava nos meus lábios e voltava e socar na minha boca.

Ele me puxou pra cima da cama, e passamos a fazer um 69 pra lá de “guloso”, se eu já estava amando mamar aquele pau tesudo, agora com ele me lambendo a bucetinha, estava melhor ainda. Sua língua literalmente me penetrava, ele me fodia com sua boca, meu clitóris era bombardeado, e isso fazia eu sugar sua vara com mais vontade ainda e foram longos minutos nessa deliciosa brincadeira oral, até que eu não aguentei mais e pedi:

– Me fode por favor, me come, quero seu pau na minha buceta.

Ele saltou da cama, colocou um preservativo, levantou minhas pernas em seus ombros, e na posição de galinha safada assada, estocou de uma vez seu pau em mim, foi inevitável não dar um grito de tesão, pois a sensação foi deliciosa.

Júlio sabia com maestria como fazer uma mulher se entregar a ele e como dar prazer de verdade. Ele metia com força, abria minhas pernas no alto e fodia sem dó, as vezes dava tapas em meu rosto, fazia eu me sentir totalmente dominada.

Depois de algum tempo, ele se deitou na cama, e eu fui por cima dele, encaixei sua vara e sentei devagar. Fiquei alguns segundos com ele dentro de mim, só mexendo o quadril pra sentir em minha buceta e então comecei a cavalgar seu, subia e descia, eu beijava sua boca, chupava sua língua, era um beijo selvagem, cheio de tesão e malícia.

O pau dele não me dava trégua, e eu estava amando aquela tortura. Deitei de ladinho, e ele continuou metendo gostoso em mim, uma de suas mãos manipulava meu grelinho, me deixando cada vez mais molhada, cada vez mais tarada até que explodi em mais um orgasmo com ele dizendo:

– Goza putinha, goza no meu pau bem gostoso, safada, gostosa, rabuda.

E assim gozei mais uma vez, com ele metendo sem parar, e eu gozando deliciosamente, senti meu corpo relaxado, leve, e ele parecendo uma máquina, entrava e saía de dentro de mim, e assim foi até que ele anunciou que iria gozar, ele ficou de pé ao lado da cama, eu fiquei sentadinha na beirada, ele arrancou a camisinha e então engoli sua vara escura, suas mãos seguraram minha cabeça e ele passou a meter em minha boca, o pau todo melado, minha saliva escorria pelo canto da boca, e ele então gozou, socou o pau no fundo da minha garganta e despejou uma enorme quantidade de porra quente, que eu não tive outra saída a não ser engolir tudinho, nossos corpos suados, um cheiro de sexo tomou conta do quarto, e eu bebia seu leite sem pudores. Continuei chupando até o pau ficar semi flácido, mas deixei-o limpinho. Nos beijamos e tomamos um banho gostoso.

Foi uma noite muito gostosa e gratificante, e Júlio é um amigo recente e que já se mostrou muito criativo e safado. Depois desse dia, já o vi de novo, mas isso eu conto uma outra hora.

Espero que tenham gostado.

 

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor lloyd
Categoria Dominação
Visualizações 629
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 3324
Tempo estimado de leitura: 17 minutos

Afiliados