O Marinão é meu. Publicado por anônimo em 01/05/2019 em Erotismo e amor

"Marinão, meu moreno lindo. Marinão é meu e o boi não lambe."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Eu o conheço há alguns anos, é um moreno com altura de 1, 70 bonito, muitos o chamam de Marinão, eu o chamo de Minão 19 anos, é funcionário de loja de moto. Eu, Pedrito, nome fictício, bissexual assumido, 20 anos 1, 60 de altura, trabalho como vendedor viajante, eu me entrosei com um grupo de amigos inclusive o Marinão, rapaz quieto, conversa pouco, não tem namorada mas é simpático. Eu frequento a casa dele e vice-versa, ele mora com a mãe viúva, ele tem uma irmã já casada eu moro com meus pais, são muitos carinhosos comigo. Quando estamos a sós conversamos bastante sobre mulheres, sexo, estudos, quando eu sei algo, que ele não sabe, eu dou uma ajuda, ele agradece, a gente se curti, ele sempre me dando umas dicas, eu também, eu o amo, acho que ele já percebeu mas não se abriu, de vez em quando uma piscada pra ele
Nós levamos essa situação por algum tempo até rolar alguma coisa, aconteceu em sua casa numa tarde chuvosa, sua mãe havia saído, levei um livro pra ele e ficamos batendo papo, aí eu provoquei a fera dizendo:


--- Ave Marino, você não tem nenhuma namorada, um rapaz bonitão, lindão, ele deu um sorriso pra mim eu mandei uma bela piscada pra ele, daí ele gostou e disse:
---Eu não tenho nenhuma namorada firme ainda mas já comi alguma por aí, também sou chegado num jiló bem gostoso, você tem uma bundinha que deve ser uma tetéia.
O Minão encostou em mim, e falou no meu ouvido:
Pedrito, faz um boquete no meu pinto, depois quero comer seu cuzinho gostoso, vou ter fazer feliz.
Eu gostei da sua resposta e disse pra ele:
Ai Marino, cá entre nós, eu te amo, você jura que não vai dizer nada pra ninguém, somos amigos. Ele confirmou, chegou perto de mim e falou:
---Pedrito deixa comigo, o que acontecer aqui, eu lhe garanto que não conto pra ninguém. Ele me abraçou, eu lhe abracei pela cintura, dei-lhe um beijo em sua boca, me apertou e disse me ama também e tirou seu pintão e disse:
---Chupa meu pimpolho, que ele vai gosta, eu peguei, fiz um carinho, punhetei um pouco, uf que gostoso, chupa benzoca, eu coloquei na minha boca, iniciei uma chupetinha, ele vibrou, uf bem chupa mais, fica de quatro meu xodó, deixa ver o seu jiló, eu abaixei a minha calça de moletom, fiquei de quatro pé, ele se ajoelhou atrás de mim, examinou meu cuzinho e disse:
---Que cu formoso, gostoso Pedrito, eu concordei e disse:
---Ai bem é todinho seu, hoje vou ser feliz meu amor, ele deu umas pinceladas no meu rego, deslizava o pinto pra cima e pra baixo e dizia:
---Levanta um pouquinho seu bundão fedido, eu obedeci, o Minão meteu o fumo, eu gemi, ui bem, ui Minão devagar, mais um pouquinho que tá entrando, eu dizia, ui bem entrou, ai gostoso, entrou o cabeçudo, te amo, mete mais, mete tudo, ele fungou nas minhas costas, meti vou gozá, eu disse ai bem, enche meu cu de porra, ele esporreou no meu toba, só alegria, ai Minão você é meu, te amo meu gostoso.
Depois demos outra foda, sai de lá com meu cu feliz.
Toda vez que estamos a sós o amor acontece e a gente se ama, meu sexo é masculino, mas ele me faz mulher.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Erotismo e amor
Visualizações 67
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 667
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Afiliados