Foda na Hora do Almoço Publicado por anônimo em 03/11/2018 em Fetiche

"Começamos a nos beijar de leve, com nossas mãos percorrendo o corpo um do outro. O beijo foi ficando mais intenso, mais forte!"

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Tenho uma esposa linda, cabelos pretos, pele clarinha, seios fartos de bicos rosados quase do tom da pele, bumbum grande e redondinho e uma bucetinha quentinha de endoidecer!

Sexo Por Telefone

Certo dia, a busquei no serviço no horário de almoço com a desculpa de levá-la para comer uma comida diferente da servida na empresa diariamente (mas, já cheio de segundas intenções havia comprado uma lingerie nova, preta, perfeita para valorizar ainda mais seu corpo já escultural). Desviei do caminho, ela fingiu não perceber até quando chegamos ao portão do Motel. Parei, olhei pra ela (que pra minha surpresa estava com um sorriso malicioso no rosto), que me disse: o que está esperando? Entra.

Ah! Era mais do que eu podia esperar! Pedi a suíte, entramos no quarto e logo já estávamos na cama.

Começamos a nos beijar de leve, com nossas mãos percorrendo o corpo um do outro. O beijo foi ficando mais intenso, mais forte! Eu apertando seu corpo com mais força, segurando seus seios, sua bunda. Me levantei, peguei a lingerie nova e pedi que vestivesse pra mim, o que ela atendeu prontamente. Entrou no banheiro para se trocar.

Quando saiu, meu coração disparou, o queixo caiu! Que mulher gostosa que ela é! A pele clarinha contrastando com as peças pretas. Comecei a beijar cada pedacinho do seu corpo, a deitei na cama e já comecei a tirar sua lingerie (como ela mesma diz: compro pra usar 2 minutos só, não resisto). Fui beijando seu pescoço, mordendo de leve, até chegar em seus seios. Ah! Como sou louco por esses seios! Passei a língua bem de leve no biquinho, sentindo ficar durinho. Enquanto chupava seus seios, minhas mãos percorriam seu corpo, indo até a bucetinha. Ela me segurava forte pelos cabelos e eu podia sentir o quanto estava molhada!

Tirei minha roupa, ela tirou a calcinha e me pediu pra socar meu pau. Não tive como negar tal pedido. Me coloquei entre suas pernas, posicionei a cabeça na entradinha da bucetinha e fui enfiando lentamente. Ela me enlaçando com as pernas, forçando meu pau a entrar cada vez mais fundo. Segurando minha nuca e me beijando com força.

Me deitei e ela veio por cima. Que visão do paraíso! Seus seios fartos, firmes, de bicos apontados para o céu, mexendo, balançando enquanto ela subia e descia do meu pau! Cada vez que chegava lá embaixo, com ele todo dentro, ela rebolava. Que tesão! Estava difícil segurar!

Ela me chamou pra levantar, fomos até a mesinha de refeições, ela se sentou em cima e eu fui beijar seu corpo, passei com minha língua por todo corpo. Mordi os seios, a barriguinha, tudo! Com ela sentada na mesa voltei a socar meu pau, agora mais fundo e mais forte. E ela pedindo: Vai, amor, soca tudo! Me come gostoso!

Aquilo me deixou ainda mais doido de tesão! A comi forte por muito tempo nessa posição.

Voltamos pra cama, ela se colocou de 4. Não resisti! Soquei o pau todinho de uma vez! Escutei um gemidinho. Bombei mais forte! Segurando na bunda e a puxando pra entrar ainda mais fundo. O barulho de nossos corpos se encontrando! Não tinha como aguentar mais! Tirei meu pau, ela se sentou na cama e eu gozei muito nos seios e barriguinha dela! Gozei muito gostoso!

Infelizmente, já tinha passado muito da hora do término do almoço e tive que levá-la de volta.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Fetiche
Visualizações 918
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 659
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Afiliados