Lembrança (Raul) Publicado por inferno31 em 27/03/2017 em Fetiche

"O nosso amigo otaku Raul teve mais uma experiência ao estilo samurai."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Estávamos no bar bebendo e fumando, todos ficamos muito atentos por causa do conto de nosso amigo John; de verdade eu fiquei muito admirado por essa façanha, três mulheres num mesmo dia. Ronnie começou a rir estridentemente como ele sempre costuma de fazer e mandou chamar ao garçom para pedir outra botelha de rum, já que a que tínhamos era morta.

Adriano e Roebens tinham ido a varanda por um cigarro enquanto os demais estávamos bebendo e rindo pela anedota de nosso amigo John; os dois que faltavam na mesa tinham chegado quando foi Raul quem começou a falar:

Como vocês sabem sou um “otaku” e gosto muito dos animes japoneses, mas um que entra no meu top dos melhores é “Samurai X” ou “Rurouni Kenshin”, como vocês se sintam mais cômodos em dizer, a coisa é que também sou um fanático da história e das lutas de espadas em especial das katanas japonesas; só ver uma arma tão mortífera e tão estilizada me pôs a pele de galinha.

Já vocês sabem o que aconteceu em um dos eventos que gosto de ir, esses que são para “otakus” como eu; bom um dia fui para um e tinha feito um “colsplay” de Kenshin ia muito contente com minha fantasia, cheguei ao lugar e comecei a caminhar e ver que tal estava o evento, sinceramente era muito legal e as mulheres que se encontravam ali, por Deus! (Exclamei) estavam muito gostosas, pelo menos uma grande maioria delas.

Houve várias que me deixaram estupefato em especial duas, uma que ia de Asuka de “Evangelion” e uma que ia de Hinata de “Naruto”; se vocês tivessem visto a essas mulheres saberiam de que coisa estou falando. Bom! Já tinha visto muitas coisas no evento até que comecei a percorrer os diversos stands que se encontravam ali, cheguei a um dos últimos o qual estava um pouco sozinho, o material que ali se podia encontrar era muito variado, desde figuras das personagens até armas realistas dos animes.

Nesse local tinham a espada de Makoto Shishio, uma das minhas personagens preferidas do anime e quase fico morto em vê-la ali mesmo. No local só estávamos três pessoas nesse momento, a dona quem era uma mulher como de 30 anos, de estatura média, morena, cabelo curto, cara muito bonita, bom corpo em especial seus peitos; também estava uma jovem como de 19 anos a qual tinha colsplay de Shura a pirata de Samurai X, lembro que quando vi o anime por primeira vez ainda era um garotinho, mas quando vi a Shura por primeira vez senti atração pelas mulheres e ali estava ela de carne e osso, porque de verdade era muito semelhante a original, a contextura, o cabelo e tudo.

Não sabia que chamava mais minha atenção nesse lugar, ou era a Mugenji ou a Pirata, estava totalmente aturdido; apanhei valor e me fui aproximando até onde estava a Katana e quando vi o valor não era muito alto, pelo menos não para mim nesse momento, não é que seja milionário, vocês sabem; a coisa é que já nesse momento estava trabalhando e ainda poupava para minhas coisas.

Já estando muito próximo da Katana ouvi como a dona e a Pirata estavam falando de Samurai X, até que cheguei e me olharam como se tivessem um scanner e logo me disseram que gostavam de meu colsplay que era muito original e que me semelhava ao Kenshin. Entao foi quando lhe disse a dona que queria comprar a Mugenji e a expressão de Shura foi de surpresa, ela estava pechinchando o preço da katana, mas chegou alguém que queria e podia compra-la ao valor que tinha dado a dona.

Comprei- a e saí do local muito feliz por ter conseguido um objeto muito especial para minha coleção, já tinha caminhado uns passos quando senti uma mão no meu ombro e era Shura.

- Eu quero a Mugenji... – Me disse com cara desafiante, própria do anime. Não sei se era minha impressão, mas achei que estava a atuar, isto é, dentro da sua personagem. Pois, eu não podia desluzir nesse momento.

- Se você quiser a Mugenji, devo dizer que não está à venta – Disse eu da forma mais desafiante e com verdadeiro olhar de Battousai.

- Pois, eu não quero comprar, eu a quero ganhar – Me disse se aproximando.

- Você é verdadeiramente valente, tem a coragem de desafiar ao Battousai mesmo – Disse eu tentando de manter a tensão do momento.

Shura já estava pertinha, muito pertinha de mim. Ninguém dos dois riu em nenhum momento, acho que no início quase o fazemos, mas depois todo se tornou um bocado serio... Mais do que serio, tenso.

Só nos víamos, ninguém piscava os olhos em absoluto. Pois, ela me beijou sem ter dito nada; não fazia falta, por alguma razão eu já sabia que ia acontecer isso, nós já o sabíamos de forma alguma. Respondi ao beijo empurrando a cabeça dela para mim e usando minha língua. Ela beijava muito bem... Verdadeiramente bem, respondeu massageando minha língua com frenético ritmo, imaginei aquela língua no meu pinto... Se separou finalmente de mim e me disse.

- Sabes por que meu cosplay é de Shura? Sou uma pirata – Me disse.

Eu só estava concentrado no bom beijo quando fiquei estranhado porque ela se deu a volta e começou trotar para logo correr. Ao me dar conto já não tinha a espada comigo, estava na mão de Shura. Comecei correr detrás dela, era rápida e hábil, esquivava às pessoas facilmente.

O único com que ela não contava é que eu também sou hábil, pratico parkour a nível amateur. Pois, ela saiu como um raio do grande local do evento e eu detrás dela ficando à gente atônita ou divertida pela cena, acho que todo mundo pensava que era uma dramatização ou coisa semelhante.

Já na área de estacionamento o lugar estava sozinho e Shura ficava sem energia, se notava que era hábil mas seu limite era curto. Foi coisa de tempo até que a encostei contra um carro, casualmente meu carro, por sorte e lhe tirei a espada.

- Está bom, já você ganhou, é o dono da Mugenji – Me disse com cara de raiva.

- Eu sou o dono porque eu a comprei, primeiro que nada. Não devo ganhar nada. Segundo, você me fez correr como um louco fora do evento, ao qual vou ter de pagar se quero entrar mais uma vez. Terceiro, tentou roubar minha espada descaradamente em frente de todo o mundo. Se não queres problemas, entra ao carro – E cm o aparelho abri o carro.

Ainda com cara de raiva entrou ao carro e a seguir eu; ficou sentda de braços cruzados, era bela e ainda mais com aquela atitude de filha de puta.

-Esteve mal o que fez você... Não esteve bom – Disse eu, ela não respondeu, só via para frente – Se fores boa e obediente, podes sair disto sem problemas. Além disso, calma, só faço isto porque acho que, depois de tudo, gostaste dos beijos, não é? – Lhe preguntei olhando diretamente a cara dela.

Não respondeu mas assomou um sorriso pequeno que se assegurou de ocultar quase ao momento. Soube que aquela era meu sinal. A tomei pela mão e coloquei sua mão no meu pênis por acima da tela do cosplay, não tardou muito em começar a massagear meu pênis se que eu ordenasse nada, depois do tudo ela também queria isso, queria sexo e o desejava desde que nos vimos.

Eu comecei massagear suas mamas medianas, tal como a Shura da serie, mas isso não me deteve; tirei seu top e comecei chupar seus mamilos marrons e pequenos. Jogava com eles, os mordia, lambia, cuspia e os lambia mais uma vez. A cara dela passou de raiva a uma cara de cumplicidade, de vitória apesar de tudo. Meti meus dedos na boca dela e ela os chupou com vontade. Sua mão já tinha meu pau rígido e listo para ser comido.

- Come meu pau que eu sei que tens fome – E o tirei fora, ela se aproximou e o começou chupar, seus movimentos eram constantes e sua língua atrevida. Apanhei meu pau e o movi dentro de boca dela, soava bom.

Quando já esteve satisfeito a fez tirar o resto das roupas e se colocar em cima de mim. Mesmo ela introduziu meu pau na xoxota dela sem ajuda. Estava apertadinha, pois era mesmo como a personagem, magrinha e esbelta. Afinal acabou por o meter inteiro na xoxota e dar um pequeno gemido, se começou mover abraçada da minha nuca, sentia suas respirações mesmo no ouvido, o qual aproveitava de lamber.

Eu era um rei, deixava que ela fizesse todo o trabalho, mas já queria participar e a apanhei das nádegas e a comecei mover para arriba e abaixo, não tinha nada de peso. Ela começou mesmo gritar, graças a Deus não havia ninguém perto. Gosto das mulheres quando se sentem como se estiverem sofrendo, me excita muito e naquele momento não foi a exceção, gozei dentro dela. Quando nos separamos o leite saiu todo da xoxota dela, como sou cuidadoso tinha já qualquer coisa para recolhê-lo.

Transei gostoso e tinha ainda minha espada sonhada. Ainda falo com Shura às vezes, e às vezes temos encontros desse tipo.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor inferno31
Categoria Fetiche
Visualizações 159
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 1836
Tempo estimado de leitura: 9 minutos

Afiliados