Namorado cochilou e eu aproveitei! Publicado por anônimo em 28/06/2019 em Hétero: geral

"Vou contar para vocês, como fiz o namorado da minha amiga gozar assistindo filme, sem o meu namorado e minha amiga perceber."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Por um certo motivo, não vou dizer minha idade exata, mas digo a vocês que sou novinha e tenho por volta de 18 aninhos rsrs. Já escrevi minhas aventuras em outro site, mas achei esse o melhor de todos e quero compartilhar com vocês agora. A história que vou contar, aconteceu há um tempinho, porém, sempre tive o hábito de escrever minhas “aventuras” em um diário, por isso vou conseguir detalhar muita coisa. Antes, deixa explicar como sou. Sou branquinha, tenho cabelos bem pretos e liso, 1, 65 de altura e sou muita linda de rosto, confesso que tenho carinha de menina safada. Já ouvi muito isso. Sempre chamei muita atenção dos homens, desde muito novinha. Tenho seios médios para grandes, durinhos e empinados. Meu quadril largo e cintura bem fininha fazem um contraste impecável! Meu bumbum é grande e empinado, redondinho! Minhas coxas são grossas firmes, malhadas... Sou um tesãozinho. Sempre tive um corpo mais desenvolvido e muito mais chamativo do que a grande maioria das meninas.

Bem, vamos ao conto...

Eu e meu namorado Edu, fomos assistir a um filme na casa de um amigo. O nome dele é Alexandre (vou chamar de Ale), e ele namorava uma garota um ano mais velha do que eu. Seu nome é Camila, e ela é uma morena de pele clara muito linda e sexy. Ale e Camila, namoravam havia pouco menos de 2 anos, e a gente saía sempre em casal durante esse tempo. Eu sempre achei o Ale um tesão, ele era forte, alto, 19 anos na época, olhos verdes, sarado e tinha um sorriso que me deixava doida. Eu sabia que ele me achava um tesão, ele sempre me secou discretamente e sempre fez uns comentários e brincadeiras sobre minha beleza. E eu sei que chamo atenção de qualquer um, desde muito cedo eu tive noção do quanto sou deliciosa e gostosa. Mas Ale sempre me respeitou, nunca deu em cima de mim de fato e eu também sempre o respeitei.

Era uma noite fria de inverno. Eu usava uma calça legging branca, uma camisetinha e uma blusa. Essa calça me deixava irresistível e jogava minha autoestima nas nuvens.

Ao chegarmos na casa do Ale, batemos papo por um tempo enquanto ele arrumava um colchão enorme no chão da sala pra nos deitarmos. Tudo estava normal como sempre. Colocamos o filme e deitamos os 4 no colchão um ao lado do outro na seguinte ordem: meu namorado, eu, Ale e Camila. Eu fiquei no meio do meu namorado e do Ale. A gente se cobriu usando dois grandes edredons e começamos a assistir o filme.

Com cerca de 20 minutos de filme, Camila já estava dormindo. Meu namorado e o Ale, deram risada e fizeram piada sobre ela, mas não a incomodaram.

Alguns minutinhos mais tarde, eu me virei de lado, e deixei meu bumbum virado pro lado do Ale. Ele também estava de ladinho de frente para minhas costas. Ale fez uma brincadeira imitando mulher dizendo para mim:

-Amiga, que cabelo cheiroso, que condicionador você usa heim?

Ele disse isso cheirando os meus cabelos pertinho da minha orelha. Aquilo me arrepiou e eu brinquei dizendo o que eu costumava usar nos cabelos e recomendei que pra ele.

Mas, Ale não tirou mais seu rosto de perto dos meus cabelos, todos nós estávamos juntinhos, eu estava encostada no meu namorado e sentia um dos braços do Ale encostado em minha cintura e uma perna dele encostado na minha. Depois que ele falou perto do meu ouvido, comecei a me excitar sentindo o corpo dele tocando em mim, me desconcentrei do filme e comecei a fantasiar ele passando a mão em meu corpo, e a gente transando ali.

Fiquei imaginando se ele naquele momento estava pensando em tirar alguma casquinha de mim ou se estava imaginando besteiras assim como eu.

Resolvi fazer um teste com ele e joguei um braço meu para trás entre eu e ele. Minha mão encostou de leve em sua coxa e ele não se afastou. Um minutinho depois eu já sentia uma das suas mãos no meu braço, fazendo carinho em mim discretamente. Um simples ato desse fez meu coração bater mais forte e eu queria ver até onde iria. Então, retribui o carinho que ele me fazia no braço esfregando meus dedos em sua coxa, onde minha mão estava encostada. Ele por sua vez, ergueu a manga da minha blusa e começou a fazer carinho na minha pele mesmo. Só aquilo já me dava tesão, era perigoso, proibido, meu namorado estava ali e a namorada dele também. Mas, não estávamos fazendo nada demais não é? Só um carinho de amigo.

Ok pessoal, eu confesso que nunca tinha feito carinho nele, muito menos na coxa. Mas, era a minha vez de aumentar o nível da brincadeira. Eu estava só esfregando de leve sua coxa, então passei a apertá-las levemente e passava minha unha também. Ficamos assim uns 5 minutos e senti ele se mexer atrás de mim, logo em seguida ele colocou a mão na minha cintura e continuou a fazer carinho.

Não tínhamos intimidade para isso. Eu sabia que ele também estava excitado tirando casquinha de mim. Um dava cada vez mais liberdade para o outro. Era meio que um jogo. A mão de Ale acariciava minha cintura de leve por cima da calça legging, enquanto eu tentava ver se meu namorado estava dormindo, pois ele parecia meio quieto.

Levantei minha cabeça devagar para olhar no rosto do meu namorado, ele ainda estava com os olhos abertos, mas estava com muito sono. Ao abaixar de novo, coloquei a minha mão sobre a mão do Ale que estava na minha cintura, e acariciei seus dedos com minhas mãos macias e pequenas, que pareciam ainda menor, comparada com o tamanho da mão dele. Um carinho desse tipo na mão não é bobagem, ainda mais no namorado de uma amiga minha, ainda mais com ela e com o meu próprio namorado ali do nosso ladinho. Mas, tudo que estávamos fazendo, acontecia de baixo dos edredons, com movimentos discretos. A gente não falava nada um para o outro, como se não estivéssemos nos encostando, como se não estivesse acontecendo nada.

Minutos depois, comecei a sentir os dedos dele procurando a pele da minha cintura por baixo da minha roupa. Eu tirei a minha mão da mão dele, e esperei para ver até onde ele iria. Aos poucos ele enfiou a mão inteira por baixo da minha roupa, e tocando na minha pele quente, ele fazia carinho em minha cintura e até na minha barriga. Tenho certeza que ele tava adorando tocar e sentir meu corpo. Eu estava arrepiada de tesão e ele com certeza também estava, por fazer carinho no meu corpo, por sentir minha pele sexy, quente e gostosa em suas mãos. Confesso que a mão dele tava uma delicia!

Bom, agora era minha vez de dar um passo a mais na brincadeira. E essa brincadeira já tinha extrapolado, apesar de não ter rolando nenhuma mão boba (até agora). Joguei meu braço para trás novamente por baixo do braço dele. Minha mão tocou em sua barriga e no começo da calça. Porém tive uma surpresa. Ele havia erguido um pouco sua roupa deixando sua barriga de fora. De imediato eu pude sentir a pele de seu abdômen, mas isso não era tudo. Senti que sua calça estava desabotoada e o zíper estava bem aberto fazendo com que eu tocasse sua cueca e, também toquei um grande volume por baixo de sua roupa cueca. Subi rapidamente a minha mão para sua barriga novamente. Confesso que assustei, foi muita surpresa. Será que a calça dele estava apertada e ele quis ficar mais a vontade? Ou será que ele abriu sua calça sem eu perceber, querendo que nossa brincadeira fosse bem mais picante?

Ele sentiu meu dedo tocar em seu pau rapidamente por cima da cueca, tão rápido que eu não pude sentir o tamanho. Mas, uma coisa ficou muito clara, a pica dele estava dura! E era só eu descer minha mão de novo para sentir mais uma vez. O caminho estava livre e fácil. Minha bocetinha começou a melar e queimar de tesão. A decisão de levar aquilo adiante era minha. Então, tomada pelo tesão e pelo meu sangue de menina safada, resolvi descer minha mão aos poucos, fazendo carinho discretamente em sua barriga enquanto ele continuava acariciar a minha cintura. Meus dedos deslizaram pelo seu umbigo e continuei descendo devagar, com calma.

De repente meu namorado se mexeu na minha frente, fazendo eu e o Ale travar. Ele se virou, olhou pra mim e disse: 

-Ta acordada gatinha?

Calmamente eu sorri e respondi:

-To sim amore!

Dei um Beijinho em sua boca e ele se virou de costas para mim novamente. Mal sabia ele que seu amigo estava fazendo carinho em minha barriga por baixo do edredom e da minha roupa e que eu estava com minha mãozinha pertinho do pau duro do Ale (como eu sou safada). Depois que meu namorado se virou, notei que o Ale virou seu rosto para ver se a namorada dele ainda dormia. Ela dormia um sono profundo e ele tirou sarro dela novamente fazendo meu namorado rir.

Tudo limpo. A gente já podia continuar nossa brincadeira. Já podia sentir o Ale esfregar sua mão no meu corpo novamente e eu voltei a descer minha mão na barriga dele até que...

Encostei meus dedinho na cabeça do pau do Ale que estava pra fora da cueca. O elástico da cueca dele estava bem em cima da cabeça de sua pica, mas a ponta da cabeça estava pra fora da cueca. Acho que o elástico não era tão apertado, e sua rola estava tão dura e grande que não estava cabendo mais dentro da cueca. Assim que toquei na pontinha de sua pica, dei uma rápida mexida no dedo para sentir melhor e tirei minha mão.

Pude sentir que meu dedo ficou meladinho de porra. O safado não se mexeu, continuou fazendo carinho em mim como se nada estivesse acontecendo. A pica desse safado estava dura babando pra mim. Eu estava perdendo o juízo, o tesão era enorme e eu desci minha mão novamente até seu pau. Encostei meu dedo de levinho na cabeça da pica dele, e comecei a fazer carinho em sua barriga, mas consequentemente também esfregava meus dedos de leve na cabeça de seu pau. Pude sentir que até sua barriga já estava lambuzada de gozo que escorria da sua pica quente e cheia de tesão. Que tesão era tudo aquilo, aquele perigo, aquela situação. Me senti uma putinha traindo meu namorado ali, com ele colado em mim.

Comecei então a acariciar a cabeça do pau do Ale de leve com a ponta dos meus dedos. Naquele momento o crime já estava feito! Rapidamente pensei no depois. Mesmo que eu parasse ali naquele momento, como ficaria as coisas depois? Agora já era. Enquanto eu pensava, meus dedos esfregavam a cabeça do pau dele que ainda estava só com a pontinha para fora da cueca. Era tesão demais pra mim (imagina pra ele), abaixei a cueca dele descobrindo metade de seu pau. Segurei a cabeça grande do pau dele com meus dedos fazendo uma leve pressão, e comecei a punhetar bem gostoso, só na cabeça, mexendo só meu punho para não me movimentar muito.

O safado levou a mão dentro da minha calça e começou a apertar meu bumbum. Eu usava um minúsculo fio dental, então ele conseguia apreciar a pele quente e levemente suada do meu bumbum enorme, tesudo, durinho e quentinho. As vezes eu abaixava a pele da pica dele, deixando a cabeça toda de fora, aí eu esfregava meu dedo em toda a cabeça inchada espalhando a porra quente que saía aos montes da rola do Ale, em seguida cobria a cabeça da rola dele novamente com a pele de seu pau, e voltava a punhetar de novo, somente na cabeça.

Minha calcinha estava melada. Eu imaginava o cheiro de sexo que estava em baixo do edredom. Meu namorado ali na frente nem imaginava que a gatinha, ninfetinha safada dele, estava punhetando seu amigo. E era uma punheta bem gostosa. Meu namorado nem imaginava que o amigo dele, já estava esfregando meu cuzinho quente e suadinho com fio dental e tudo! E eu sinto muito tesão no meu cuzinho! Muito mesmo! Estava com vontade de pedir pra ele enfiar o dedo em mim, mas ficava só torcendo essa atitude vir da parte dele. E ele esfregava gostoso meu cuzinho, deixando ele piscando de vontade de foder. Eu descontava meu tesão batendo acelerando a punheta em seu pau, sempre somente na cabeça.

Então, o Ale me falou baixinho no ouvido:

-Se você continuar vou gozar. Eu quero muito gozar. Mas como agente faz aqui?

Fiquei louca ouvindo aquilo!! Tirei minha mão do seu pau, e o mais discreta possível eu abaixei minha calça e minha calcinha, descobrindo somente meu bumbum. O tesão que eu sentia era inexplicável, a sensação de safadeza e de perigo me deixava descontrolada.

Levei minha mão devagar até minha boca e cuspi em meus dedos, em seguida, levei meus dedinhos molhados com minha saliva densa e quente até meu bumbum. Me mexia com cuidado e sempre de olho no meu namorado. Eu abri meu bumbum e espalhei bem a saliva no meu cuzinho que fervia de tesão. Enfiei um dedinho dentro do meu cuzinho e em seguida segurei no pau do Ale e levei seu pau na portinha melada do meu cu começando a punhetá-lo e sentindo a cabeça grande da pica dele roçando no meu buraquinho rosado e lisinho, sem nenhum pelinho. Não conseguia ver direito o rosto do meu namorado, mas ele não estava olhando pra TV, devia estar dormindo. Com relação a Camila, eu nem estava preocupada com ela, ela era problema pro Ale, ele deveria ficar de olho nela.

Escutei o Ale sussurrar no meu ouvido:

-Você é doida! Que menina safada! Vou te melar toda se continuar Michele, eu tô no ponto.

Virei meu rosto pro lado dele e disse baixinho: 

-Entra logo em mim! Me come e goza logo, antes que alguém perceba.

-Comer seu cuzinho Mi?

-Isso, goza dentro de mim bem gostoso.

Deixar ele gozar dentro da minha boceta iria me melar demais depois, quando começasse a escorrer pra fora de mim. Meu namorado iria perceber a menina dele melecada com o gozo de outro. Já no meu cuzinho não tanto. E eu também estava doida pra sentir aquele pau dentro do meu cu.

Notei que Ale lambuzou seus dedos com a sua saliva e levou para de baixo do edredom . Ele devia estar lubrificando seu pau. Em seguida, senti ele começando a forçar a cabeça de sua pica contra meu cuzinho rosinha e apertadinho. Comecei a sentir meu cuzinho abocanhar a cabeça do pau dele. Foi entrando muito gostoso e eu comecei a me masturbar. Minhas boceta estava melada demais, uma delicia para eu esfregar e enfiar os meus dedinhos.

A cabeça do pau do Ale foi entrando devagar até que eu senti ela inteira dentro do meu cu. Meu cuzinho estava mamando gostoso na cabeça do pau do amigo do meu namorado. E como a cabeça dele estava gostosa!!! Estava inchada, dura e grande. Fiquei imaginando quanta porra estava escorrendo aos poucos daquele pau dentro de mim, e quanta porra iria jorrar no fundo do meu cuzinho!

Senti o Ale tirar e colocar a cabeça do pau dele de dentro de mim. Aquilo me dava muito tesão e me deixava com vontade de gritar pra ele enfiar tudo dentro de uma vez. Era notório sentir quando o "aro" da cabeça do pau saía ou entrava de dentro do meu cuzinho apertado. Eu me masturbava com cuidado para não gozar, pois já estava no ponto.

O safado tirou e colocou mais uma vez. Ele repetiu isso mais umas duas vezes fazendo meu cuzinho chupar gostoso a cabeça do pau dele. Eu não aguentei de tesão, tirei o dedo de dentro da minha boceta e comecei a esfregar meu grelinho com vontade gozando como louca!

Também forcei meu quadril pra traz enterrando mais o pau dentro de mim, e nesse momento o Ale ajudou e fez o que eu mais queria. Colocou seu pau inteirinho dentro da minha raba de puta. QUE DELICIA!!! Gozei demais!!

Me segurei pra não gemer alto, mordi meus lábios, respirei ofegante e senti o Ale mexendo gostoso seu pau enterrado inteiro dentro do meu cuzinho. Meu orgasmo não parava mais, comecei a tremer e escutei o Ale dizer:

-Fica quietinha! Não se mexe se não vou gozar, não quero gozar ainda.

Interrompi ele dizendo:

-Goza logo dentro de mim Ale! Me enche de porra, anda!

” Eu disse isso mais alto do que devia. Se meu namorado e a Camila não estivessem dormindo, eles iriam ouvir com certeza. Disse isso e já comecei a rebolar no pau dele, de imediato comecei a sentir seu pau jorrar porra e mais porra quentinha dentro de mim. O Ale apertava minha bunda com suas mãos e enfiava e mexia gostoso seu pau dentro da minha bunda gostosa, soltando mais e mais porra. Que delicia. Como eu era putinha. Dei o cu do lado do meu namorado, e para o amigo dele ainda!

Meu namorado dormindo quietinho e eu fodendo gostoso meu cuzinho na pica do Ale, enquanto a namorada dele também dormia. Pobre Camila.

O Ale terminou de gozar e foi tirando devagar seu pau de dentro de mim enquanto apertava meu bumbum e dizia:

-Que bunda gostosa! Que bunda deliciosa!

Imagino o quanto ele gostou. Meu bumbum é perfeito, UM TESÃO!

Assim que ele tirou sua pica de mim, senti que escorreu leitinho no meu bumbum, então eu arrumei minha calça e me levantei. Meu namorado acordou e eu disse que ia ao banheiro. Enquanto caminhava, sentia meu cuzinho e o meio da minha raba tesuda bem meladinho de porra. Chegando no banheiro, abaixei minha calça e minha calcinha. Estava com minha roupa meladinha. Minha bocetinha deixou minha calcinha toda molhadinha, e meu bumbum estava lambuzado de gozo, pois escorreu quando o Ale tirou o pau de mim. Isso fez com que até minha calça ficasse um pouco molhada enquanto eu andei até o banheiro.

Me limpei, e amarrei minha blusa na cintura para disfarçar uma possível mancha de molhado na minha calça.

Deu tudo certo! Fui embora satisfeita e pensando na loucura que aconteceu. Como eu era abusada e biscate! Meu namorado me levou embora sem imaginar que a menina dele estava com o cuzinho cheio de porra de seu amigo. No caminho para casa, ainda fiz um boquete gostoso pra ele e bebi seu leitinho todo enquanto ele dirigia. Ele quis me comer, mas eu disfarcei dizendo que queria mamar e estava com sede de seu leite. Ele caiu.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Hétero: geral
Visualizações 1275
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 3610
Tempo estimado de leitura: 18 minutos

Afiliados