Nossa amiga do Sul - 02 Publicado por anônimo em 21/05/2019 em Hétero: geral

"O tal dia chegou, Fernanda chegaria no aeroporto de Vitoria por volta das 12 horas e Ana, quis recebê-la sozinha, já que a nossa ilustre visitante iria ficar hospedada em um hotel junto com o namorado (aquele bem-dotado) que chegaria no dia seguinte."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Ana chegou no aeroporto uma meia hora antes, estava linda. Usava um vestido vermelho que apesar de não ser tão ousado e com grandes decotes, marcava bem o seu corpo e mostrava boa parte das suas belas pernas. O salto alto, sua marca mais forte depois do perfume Dolce & Gabbana se faziam presente como na maioria das vezes em que ela se arrumava.

Fernanda chegou no horário e de lá as duas seguiram para o hotel que ficava bem perto de nossa casa em Vila Velha. No caminho aquela euforia do primeiro encontro, mas no ar tinha um clima de sedução. As duas estavam se segurando, mas essa tática durou apenas até elas entrarem no quarto do hotel. Assim que elas fecharam as portas, Fernanda partiu pro ataque sem dó. Encostou Ana no canto do quarto e lhe beijou com vontade enquanto suas mãos ágeis deslizavam por cima do vestido que ainda cobria seu corpo. 

Ana estava literalmente entregue e nem percebeu quando Fernanda a despiu com uma maestria que poucos possuem. Quando se deu conta, já estava deitada, nua, com as pernas abertas e com os lábios atrevidos de Fernanda deslizando toda extensão do seu corpo. Ana perdeu a conta de quantas vezes gozou naquela manhã.

Quando Ana saiu do hotel ela me ligou e pediu que eu fosse encontrá-la em sua casa. Provavelmente ela chegaria antes de mim, pois estava bem mais perto que eu. Quando eu cheguei a porta estava aberta, eu entrei e lá estava ela. Em pé, nua, com uma taça de vinho nas mãos, com uma cara de safada, aquele ar de quem tinha acabado de aprontar. Me aproximei e ela já foi me despindo, me jogou no sofá, se ajoelhou, me chupou com uma vontade louca e depois sentou no meu pau. Ana rebolava com vontade, queria gozar logo, meu pau era pressionado pela sua buceta e quando ela anunciou seu gozo eu fui junto e explodi dentro em fartos jatos de porra. 

Depois tomamos um banho, nos jogamos na cama, tiramos a tarde de folga e ela me contou tudo que eu acabei de relatar acima. Entre um detalhe e outro, a gente se pegava, gozamos de todas as formas e só paramos quando Fernanda nos convidou para jantar com ela no hotel.

A noite prometia, corri pra casa e me arrumei. Passei na casa de Ana para buscá-la e quase tive um troço quando ela saiu usando uma calça preta de couro, salto alto e uma blusa fininha sem nada por baixo. Seus cabelos estavam ainda mais encaracolados, o que lhe dava um ar de matadora. 

Partimos pro hotel e quando chegamos ao quarto 1. 110, Fernanda já nos esperava linda, de vermelho, salto alto e duas taças nas mãos.

Nos apresentamos e eu ganhei de cara um selinho. Seu cheiro era bom. O clima de sedução estava no ar e a nossa noite foi longa.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Hétero: geral
Visualizações 487
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 535
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Afiliados