O novo contrato Publicado por 22cm em 09/04/2017 em Hétero: geral

"Fui a relaxar-me a um bar e ali conheci a uma publicitária que me ofereceu um contrato e posso dizer que houve uma cláusula muito prazenteira..."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

O novo contrato

Sou um homem que gosta mais de sentir do que pensar, mas agora estou pensando muito em alguém e isso não me tinha acontecido em muito tempo, de verdade isso era muito estranho e me fazia ser alguém diferente, ser mais pensativo é algo muito contrário a mim e, além disso, me fazia estar um pouco desfocado e distraído no meu trabalho e isso não era normal em mim. Já tinha saído do escritório e tinha ido a academia a treinar, esse foi o único momento no qual e pude estar tranquilamente sem pensar em nada e de verdade que o necessitava.

Hoje treinei fortemente, de verdade isso me fazia estar mais calmo; cheguei a casa, tome um relaxante duche e logo me vesti para sair por ali, queria distrair-me além de fazer uma das minhas coisas preferidas, beber. Fui ao ponto de táxi que estava perto de casa e lhe disse que me levasse a um bar, para ser mais especifico lhe disse que me levasse a um bar onde se pudesse estar muito relaxado e que tivesse espaços abertos; o taxista me olhou com uma cara engraçada, já que de verdade estava sendo algo peculiar com meu pedido, chamou a central e lhes pediu os dados de um bar assim, aos minutos recebeu uma resposta, ligou o taxi e fomos embora.

O taxista era um senhor muito amável, e por isso lhe pedi desculpas por ter sido um pouco arrogante com meu pedido, ao final lhe pedi seu cartão de apresentação para assim tê-lo para quando precisasse um taxista de confiança; depois de vinte minutos de recorrido chegamos a “as Mercedes” um setor da cidade o qual tinha muita vegetação e a maioria das casas e os edifícios dali tinham jardins muito bonitos; o taxista se detive frente um casarão que tinha umas letras douradas na soleira e dizia “Bar das estrelas”, pelo visto era um lugar exclusivo, menos mal que esse dia fui casual, ia de calcas e camisa casual.

Paguei ao senhor Luís, esse era o nome do taxista, e me baixei do carro; depois de passar a soleira havia um grande estacionamento para os clientes que tinham carro, mais diante se encontrava a entrada do bar a qual estava custodiada por dois guardas e havia uma fila de aproximadamente 35 pessoas ou mais para entrar, cheguei a fila e me pus de último quando ia caminhando para estar na fila vi como quase a maioria das mulheres que ali estavam me olhavam, isso para mim era normal e por isso não lhes prestei muita atenção.

De repente a entrada chegou um Audi A3 sedã preto ainda demais de formoso e do mesmo se baixaram duas mulheres muito atrativas, uma delas era branca, de estatura média, cabelo liso e castanho escuro, mas o levava recolhido para trás em cola de cabalo, tinha um vestido preto ajustado o qual fazia notar melhor umas acentuadas curvas, tinha os peitos acordes a seu corpo mas as pernas e a bunda estavam bem definidas e firmes, se via que ia muito a academia, seu rosto era muito belo, traços finos, nariz perfilada e com um arinho de piercing, lábios carnosos e olhos da cor de seu cabelo, tinha óculos hipster e por Deus! (Exclamei); a outra era alta, tinha um bronzeado dourado, cabelo ondulado e loiro, tinha um vestido branco e ajustado o que fazia que se notasse esse corpo fitness e de modelo, peitos pequenos, mas abdômen plano e pernas e bunda também firmes, ademais seu rosto também era muito bonito, nariz perfilada, olhos arredondados e verdes, lábios provocativos e sorriso radiante.

De verdade que essas mulheres eram ainda demais de formosas e acho que não qualquer homem poderia tê-las, mas isso não importava muito nesse momento porque eu queria beber e fumar para relaxar-me; embora aconteceu algo um pouco estranho, a branquinha começou a olhar para a fila e de repente fixou sua olhada em mim, em nenhum momento retirei a olhada e ao instante se me aproximou e me disse...

- Olá, tudo legal? Oi, você gostaria de entrar comigo e minha amiga ao bar?

Nem tolo que fosse respondi...

- Gosto, sim!

 Dirigi-me a entrada com ela, os guardas me revisaram e como estava tudo bem, me deixaram aceder tranquilamente ao local; estando dentro vi que o “Bar das estrelas era ainda demais de bonito e o que chamou mais minha atenção foi o balcão que possuía, a loira encontrou a umas amigas e a branca foi atrás dela, eu como o que queria era beber não lhe dei importância ao que tinha acontecido e me dirigi ao balcão; esse dia queria rum e lhe perguntei ao bartender o que tinham da bebida que queria, me disse vários nomes até que um chamou minha atenção “Cacique”.

Comecei a beber desse rum e gostei muito, meu ritmo para beber é forte e apenas tinham passado vinte e cinco minutos e já ia por mais da metade da botelha, queria fumar e vi onde ficava o jardim lhe disse ao bartender que me guardasse a botelha que iria por um cigarro e voltava, amavelmente apanhou minha botelha e a guardou, enquanto eu fui para o jardim; quando cheguei lá, notei que era muito espaçoso e que havias uma grande fonte no meio e perto dela as pessoas se punham para beber, fumar e dançar.

Depois de ter fumado três cigarros me dirigi novamente para o balcão do bar e já quando estava pronto de chegar, me voltei a encontrar a branquinha com a qual entrei, mas essa vez estava sozinha e disposta a falar-me...

- Oi você é modelo, né? – Me disse.

- JAJAJAJA! Não, somente sou um administrador que está cá para beber e relaxar-se. – Lhe respondi.

 - Sinceramente não acho como é possível de que não sejas modelo. – Me disse.

- JAJAJAJAJA! Bom como disse sou administrador e até o memento estou muito bem assim. – Lhe disse.

- Posso-lhe dizer que digo que você tem porte de modelo, e neste momento preciso de alguém como tu para fazer um trabalho e me gostaria de fazer uma proposta. – Me disse.

- Bom vamos a ouvir que proposta tem e lhe digo, embora nunca tenha feito nada de modelagem.- Lhe disse isso enquanto sorria.

- A coisa é que preciso além com seu porte para fazer um anuncio de óculos, já temos a modelo, mas nos falta o modelo e quero que seja você, além disso, vai ter tudo pago além de um bom salário e se tudo dá certo, como acho que vai acontecer, é possível de outras oportunidades de trabalho.- Me disse.

- Se são só fotos para óculos não tenho problema nenhum, além disso seria a primeira vez que faço algo assim e sinto curiosidade.- Lhe disse.

Depois de falar um pouco mais lhe disse que tinha uma botelha por acabar e gostaria de fazê-lo, se ela queria me podia acompanhar, então ela aceitou e foi comigo; estando no balcão do bar começamos a beber e depois de ter acabado o que restava da botelha pedi outra, nesse momento estávamos falando e soube seu nome, era Monica e tinha 29 anos e a loira se chamava Sophia de 23 anos, além disso soube que ela era publicitária além da manager da loira. Depois de ter uma conversa tão interessante ela me disse que se eu gostar podíamos ir para outro lugar onde beberíamos e falaríamos melhor dos pormenores do contrato que tinha de assinar e acetei.

Paguei as botelhas e fomos embora, o detalhe é que só fomos nós, Sophia ficou no bar e nem sequer a conheci melhor esse dia, mas isso não importava porque o que queria era beber e, além disso, teria uma boa companhia. Fomos até o estacionamento e me subi ao formoso Audi no qual chegou ao bar, tinham passado meia hora desde que saímos do local até que chegamos a um bairro de uma zona luxuosa da cidade e os edifícios dali eram muito bonitos, nós detivemos e entramos a um, estacionou o carro e baixamos, pois, fui com ela até onde estava o ascensor.

O edifício era de quinze andares e ela morava no andar dez, em cada um havia só dois espaçosos apartamentos, eram quase que um penthouse; logo entramos e de verdade que era muito bonito e luxuoso seu lugar, lhe perguntei se podia fumar em paz na varanda e ela me disse que não tinha nenhum problema com isso, em quanto acendia meu cigarro ela prepara uns runs para continuar quentes.

Depois de que acabei de fumar fui a sala a beber com ela, e de verdade que comecei a sentir-me muito atraído por Monica, bebi de um só trago minha bebida e me aproximei a ela, sorri e a beijei, ela correspondeu o que tinha feito com uma intensidade maior e senti como sua língua se movia com muita energia na minha boca, além disso, senti como começava a tocar minha perna, essa mulher o que queria era pau e esse dia se levaria uma “pequena surpresa”.

Coloquei-me de pé e me saquei a camisa, quando Mónica viu meu definido e tatuado corpo se lhe fez água a boca e me disse...

- Oi, mas que gostoso, além de publicidade de óculos gostaria de ver-lhe em fato do banho. –

Eu sorri e lhe disse...

- Então vai levar uma “pequena surpresa”. –

Saquei das minhas calças meu “pequeno amigo” e lhe fiz um sinal para que o comesse, a expressão de surpresa me agradou muito e enquanto se pus de joelhos e começar com seu trabalho lhe disse...

- Você vai levar piroca de 22 cm nessa boca.-

Ela sorriu e começou a comer-se meu membro com devoção e o fazia divinamente, apanhei seu rosto e me mexia para diante e para atrás, depois a carreguei e a levei ao sofá, ali mesmo lhe retirei o vestido além do sutiã e o fiozinho dental que tinha só deixei que tivesse seus óculos e seu cabelo recolhido; a encostei e comecei a comer-me essa linda e lubrificada vagina, depois de uns minutos comecei a esfregar meu membro no seu clitóris e ela iniciou a mover suas ancas, até com uma olhada que me deu soube que queria ser penetrada e ao instante o fiz.

Meus movimentos eram diretos e fortes, ela me apanhava das cadeiras enquanto a penetrava com fúria e os dois sorriamos; pois mudamos de posição e se pus de quatro, quando vi essa perfeita bunda não aguente e beijei e logo bati com força essas firmes nádegas, as apertei e depois a penetrei novamente. Ela ainda se mexia comigo e isso era muito excitante, Monica gemia e eu também, nosso nível de excitação estava aumentando. Ao instante mudamos de posição e me sentei no sofá, ela se colocou em cima e começou a rebolar no meu “pequeno amigo” enquanto apertava com firmeza sua bunda e chupava seus peitos.

Logo me pus de pé carregando-a, estava muito excitado e nessa posição podia penetra-la completa, seus olhos se tornaram brancos e cravou suas unhas nas minhas costas enquanto deu um longo gemido e logo me mordeu o ombro direito, além de sentir como tremiam suas coxas e sua vagina no meu membro, já tinha tido um intenso orgasmo. Isso me pus mais excitado e a coloquei no sofá novamente, me pus de joelhos e comecei a investi-la com muita força, aos minutos saquei meu membro dela e me gozei nos seus óculos os quais me davam muito morbo.

Os dois sorrimos e ela se limpou e foi a tomar um duche quente, logo me disse que me esperava no banho para priorizar e instaurar os termos do contrato, eu fui nu a varanda e acendi o típico cigarro post sexo enquanto olhava o céu estrelado, o acabei e logo fui a concretar meu contrato...

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor 22cm
Categoria Hétero: geral
Visualizações 149
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 2288
Tempo estimado de leitura: 11 minutos

Afiliados