nem a primeira nem a última vez Publicado por www.relatoseroticos.es em 07/05/2011 em Lésbica

" Não sabendo como iniciar o seu, eu continuei:$. "

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior
Este conto anônimo foi publicado originalmente em relatoseroticos.es. E foi traduzido automaticamente usando a tecnologia de traductor.es, pode conter erros de ortografia, erros gramaticais ou palavras não traduzidas do texto original.

.

Nós já estávamos deitados na cama tranquila. Ouvi-a suspirar, e Deus, que me deixou ainda mais excitada do que ela me tinha antes. Eu não podia mais aguentar mentindo lá ou teria que acordá-la. Eu me levantei e peguei minhas roupas, então eu entrei no banheiro para me dar um bom banho levar tudo que pegajoso líquido que foi deixado na minha pele depois de um momento selvagem com meu amigo. Depois de alguns minutos, ouvi passos vindo em direção a banheira. Foi ela, com ela ainda nu e marcação meu corpo. Ele sorriu. Ele foi o mais lindo sorriso que eu tinha visto sem dúvida. Eu o convidei para passar, e ela pensou por um momento e se lançou sobre mim beijando-me como a primeira vez. Eu me virei para correr. Eu não entendia como era tão foda perfeita pode fazer-me sentir um banco inteiro com apenas arranhou meu. O sentou-se em mim com as pernas bem como a água correu debaixo de nós e minhas mãos tocaram todo o seu corpo, lentamente, ainda se beijando. Cheguei a sua vagina. Deus, o que mais estava em minhas mãos! O Todito amassou:$ e viu-a recuar, assim que parou de beijar-me a morder o lábio. Parecia que ele estava com tanto prazer quanto eu faço, mas o que vai, o que eu sentia era inexplicável. Então, eu não acho que de mim, desta vez era eu que estava assentado sobre ele e aberto para mim e meus dedos longas pernas. Eu estava preso. Muito difícil, mas tome cuidado para não machucar. Ela gemeu e eu mantive transar e cheia de prazer. Com a outra mão tocou seu corpo inteiro até os seios, acariciando-os com força e ainda obter meus dedos e puxando para fora de sua vagina e ela gemeu.Eu gritei meu nome com tal intensidade que me deixou ainda mais excitada, e pediu-lhe para me tocar, para fazer minha buceta seu tesouro e seu jantar se quisesse. Ele lambeu, deus, o que é um prazer! Eu corri em toda a sua boca, e ela ainda não parou. Eu poderia continuar, mas acho que meu amigo tem o prazer suficiente por hoje. Pequena risada, mas eu tenho apreciado;). Eu te amo, baby < 3.


Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 1

Sobre este conto

Visualizações 204
Avaliação 0 ( votos )
Comentários1
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 431
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Afiliados