O Encontro Publicado por anônimo em 24/11/2017 em Sexo de distância

"Tinha chegado a hora, depois de muito tempo se falando somente pela internet eles finalmente se encontrariam, e ele estava muito animado."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Ela era uma mulher sensacional, divertida, inteligente, engraçada, além de ser linda, tornaram-se amigos facilmente e conversavam quase todos os dias. Ele carioca até a raiz dos cabelos, sotaque rasgado, extrovertido e bem humorado, ela paulista radicada na Espanha a anos, quando se falavam ao telefone as vezes esquecia que estava falando com um brasileiro e misturava os idiomas, isso deixava tudo mais engraçado.


Ele chega ao hotel onde ela está hospedada, informa-se no saguão e é autorizado a subir, toca a campainha e ao ser atendido por ela fica parado por alguns momentos, apenas admirando o que está em sua frente: Os cabelos caindo pelo pescoço e emoldurando o rosto, os olhos vivos o observando, o sorriso no rosto, o perfume, o silêncio é quebrado pela voz que ele já tinha ouvido ao telefone e agora estava ali tão perto “Oiiii Anjinho, entra...”


Ele Entra no quarto e observa tudo ao seu redor, as cortinas estão fechadas, algumas luzes acesas, dando um ambiente de penumbra, música rolando, Led Zeppelin – Star Way to Heaven, e o perfume que agora enche toda a sala, tudo isso levou apenas alguns instantes, ele sorri e tem certeza que passará momentos muito agradáveis ali “Olá minha linda hispano-brasileña como vai?” Ao cumprimentá-la chega mais perto e a beija no rosto, e a abraça apertado, pôde sentir o contato do corpo dela com o dele e jura que por um momento ela suspirou...


Sentam-se no sofá e começam a conversar amenidades, estranhamente não ficam sem jeito na presença um do outro, tudo flui muito naturalmente e logo já estão rindo e conversando como se tivessem passado a vida inteira juntos. Então ela olha pra ele e diz vou pegar algo pra nós, vai até o frigobar e retira de lá uma garrafa de vinho tinto e doce, ele se oferece para abrir e servi-la, ele enche primeiro a taça dela, depois a dele e brindam a este encontro.


Com o vinho a conversa vai se tornando cada vez mais animada, as mãos começam a se tocar e ele fala sempre a encarando, olhando no fundo daqueles belos olhos castanhos, ela por um momento fica sem graça e pergunta por que ele tanto a encara, ele responde: “Tem um pouco de vinho no canto de sua boca, me deixe limpar...” então aproxima-se bem devagar a pega pelo pescoço, leva sua boca em direção a dela e suavemente sorve as gotículas de vinho que escorriam pelo canto de sua boca, logo após vai até seus lábios e a beija suavemente acariciando seus cabelos, e sente que é retribuído, então a intensidade do beijo vai aumentando, começam a se beijar com sofreguidão, o tesão vai aumentando e ele morde seus lábios bem devagar, suas mãos percorrem o corpo dela e começam a acariciar ele.


Sua boca procura o pescoço dela e ao sentir o perfume que ela exala ele se excita ainda mais. Beija, morde, suga, lambe o pescoço com a ponta de sua língua e ele pode ouvir a respiração dela aumenta a intensidade. Eles se levantam e caminham se beijando em direção à cama de casal, as roupas de ambos vão ficando pelo caminho. Ele a deita na cama e começa beijando sua boca, desce pelo seu pescoço e fica bastante tempo sugando seus seios, ora devagar, ora mais forte e a respiração dela fica cada vez mais ofegante, ele começa a gemer bem baixinho e murmurar coisas que ele não consegue entender direito.


Ele se levanta e a deixa deitada na cama. Ao voltar ele está com a garrafa de vinho nas mãos, ele a olha e lhe diz – “Já que és Crystal farei de você minha taça” e derrama o vinho no umbigo dela até transbordar, o vinho escorre por sua barriga descendo entre suas pernas e ele vai atrás sugando, tira a calcinha preta que ela veste e derrama mais vinho entre suas pernas, ao sentir o vinho gelado escorrendo entre suas pernas ela tenta fecha-las, mas a cabeça dele já se encontra entre elas e começa a sugar o vinho, que se mistura com o mel que sai de dentro dela, ela então começa a gemer cada vez mais forte, ele também geme muito e diz: “Delícia, estou adorando ter você como minha taça, o vinho fica muito melhor...” ela geme e agarra a sua cabeça e coloca mais fundo entre suas pernas. A língua dele entrava entre os pequenos lábios, ele sugava com força enquanto mordia com a pontinha dos dentes o clitóris dela. Ficaram durante algum tempo assim até que ela sente os espasmos que antecedem o gozo, e ele ao sentir o seu corpo tremer chupa cada vez mais forte até que ela em êxtase goza em sua boca.


Então ela o olho profundamente e diz sua vez, o deita na cama e beija o seu peito e vai descendo com a língua e olhando pra ele, a tensão dele aumenta, ela pode ver o volume se formando em sua calça, ela abre sua calça, abaixa sua cueca e liberta o seu membro que se encontra em riste, olha novamente pra ele e sem dizer nada começa a chupá-lo, chupando forte como se não houvesse amanhã, e ele sente um prazer imenso com isso, ela enquanto chupa vai tirando sua calça e a sua cueca e logo ambos ficam completamente nus. Ele então sente o gozo se aproximar e faz menção de sair para não gozar em sua boca, no entanto ela não permite e chupa cada vez mais forte até que ele goza em sua boca e ela se delicia. Ambos começam a se beijar e se acariciar, logo ele se encontra pronto novamente.


Ele a coloca de quatro na cama e enquanto beija o seu pescoço vai penetrando sua vagina aos poucos, com muito cuidado e carinho, a cada pedacinho do seu membro que entra nela ambos sentem um prazer indescritível, eles esperaram muito tempo por isso e querem que seja perfeito. Ao entrar tudo ele começa a estocar com metidas firmes e lentas.


O corpo dela ia pra frente e pra trás a medida que ele estocava e ele dizia, está gostando minha espanhola? E ela esquecia que estava falando com um brasileiro e respondia, si mucho... E enquanto metia pegava ela pelos cabelos e trazia sua boca em direção a dele e beijava loucamente, enquanto com a outra mão acariciava seu clitóris, provocando naquela linda hispano-brasileira outro gozo intenso e profundo.


Ela então o deita e senta-se em seu membro cavalgando nele com força, gostava de senti-lo entrando bem fundo dentro de si, gostava de ouvir as coisas obscenas que ele dizia, gostava de ver o prazer que estava dando a ele. Eles se beijavam e ela cravava suas unhas na carne das costas dele, e ele por sua vez mordia os lábios dela e a apertava. O prazer era intenso e ambos queriam mais, mais, mais...


Ele então a coloca de pé no chão e mais uma vez mais chupa-la, colocando-se entre suas pernas, mas desta vez dividia sua atenção entre a vagina, o períneo e a entrada do seu ânus, ela estranhou a princípio, mas ao sentir aquela língua entrando dentro de si ela foi relaxando e se entregando, ele foi abaixando o seu corpo e ela foi apenas deixando, logo ela começou a sentir um dedo a acariciando lá, apenas na entrada, e ele continuava a beijando ela apenas de olhos fechados, então ela sente que ele abre com as mãos as polpas de suas nádegas e quando ela menos espera ela sente que ele coloca o membro dele na entrada do seu ânus, quando ela pensa em falar alguma coisa ele pega e a beija somente e bem divagar a vai penetrando enquanto acaricia o seu clitóris, ela relaxa e sente prazer ao ser penetrada por ali.


Então ele começa a bombar primeiro bem devagar, a mistura de dor com prazer que ela sente faz com que ela gema cada vez mais alto e fale coisas sem sentido enquanto ele fica cada vez mais excitado e meta cada vez mais forte, não agüentando mais ele goza fartamente e ela sente o gozo quente dele dentro dela.
Vão tomar um banho juntos e terminam o encontro com muita conversa, descontração e mais sexo, outros encontros se sucederam até que ela voltasse pra Espanha, mas isso já é uma outra história.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Visualizações 429
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 1661
Tempo estimado de leitura: 8 minutos

Afiliados