O troco.... Publicado por anônimo em 09/08/2020 em Lésbica

"Me chamo Clara tenho 45 anos, sou mãe de duas lindas meninas Raquel e Ruth e sim gostava sim da novela rsrs. Sou casada com o Ricardo um bom marido por sinal..."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

sou uma mulher independente sou proprietária de uma loja de artigos femininos muito famosa aqui em minha cidade o Ricardo também é um pequeno empresário ele tem uma oficina de carros e motos.
Sou uma morena de 1, 70 metros com um par de seios fartos, pernas grossas e definidas e claro uma bunda que deixa muitos novinhos babando por mim como eles falam sou uma coroa enxuta. 
- Gata hoje serei obrigado a ficar até mais tarde na oficina... Tenho que entregar aquele carro se não lascou- odiava quando meu marido as 06h da manhã vinha com esse papinho de que vai chegar mais tarde.- Mas mor você já chega as 18h todos os dias, outra hoje é Sexta-feira- como se ele importasse com isso.
As 06: 30h da manhã Ruth acorda.- Bom dia minha rainha, hoje a senhora vai mais tarde?- ela me dá um beijo seguido de um forte abraço.
- É você e a Raquel vão sair?- minhas filhas eram gêmeas e mesmo com seus 25 anos ainda moravam comigo e o pai.
- Bem mãe não tenho certeza mas quando chegar vejo com a Quel- Raquel também trabalhava comigo cuidava das questões financeiras da loja.
Ruth sai  eu iria entrar mais tarde hoje afinal o bom de ser dona do próprio negócio tem suas vantagens, as 7: 30h  em ponto Raquel levanta minha princesa estava de férias.- Bom dia minha rainha, dormiu bem? Ah hoje vamos pousar na casa da Bia- era tudo que eu queria ouvir.
A manhã passaria rápido, no período da tarde revejo sem querer uma antiga amiga Laura ela estava fazendo compras na minha loja.- Meu Deus, Clara é você?- segurando um conjunto de lingerie ela pergunta.
Foi bom rever uma antiga amiga ela depois de comprar algumas coisas acaba me convidando para tomar um chopp naquela noite, não tinha como dizer não pois Ricardo chegaria tarde.
- Olha só você- ela pega em minha mão me faz dar uma volta, noto que ela dá uma analisada no material.
- Muita academia Laura mas você também está bem em forma- ficamos ali tomando nosso chopp, dando risadas relembrando a infância ela me contará que já era viúva seu marido havia morrido devido um problema de saúde, pergunto a ela se estava namorando ou não e acabo me surpreendendo com oque ouço.- Eu me prender a homem rsrsrs nunca mais se quiser por a minina aqui pra brincar utilizo meus contatinhos rsrsrs- caímos na risadas mas confesso que contatinhos não é para mim.
As 18: 40h saímos do barzinho confesso que tomar uns chopps com Laura me deixou um pouco excitada, por ter bebido chamo um Uber.
- Boa noite, tudo bem com a senhora?- um rapaz educado me cumprimenta, acabo me sentando no banco de trás do carro.
Por cerca de 15 minutos fico na companhia agradável daquele rapaz não tenho esse costume de chamar um Uber para ir á algum lugar mas como posso dizer foi boa a viagem. Chego em casa pago a corrida ao rapaz Pedro era seu nome ele acaba deixando um cartão comigo caso precisasse mais uma vez, na mesinha de canto na sala encontro um bilhete: " Minha rainha, como disse a senhora estamos na casa da Bia, voltamos no Domingo " o gostoso entre nós era isso mesmo com toda essa tecnologia gostávamos de deixar bilhetes pela casa. Por volta das 19: 15h meu celular vibra, sendada no sofá leu a mensagem de Laura: " Adorei e muito nossa tarde, espero poder repetir novamente" no tempo de escola ela era minha melhor amiga mas a vida nos distanciou e o destino nos fez um lindo encontro, me levanto subo as escadas em direção ao meu quarto e vou direito a suíte precisava tomar um banho. Me olho no espelho ouço a porta do meu quarto se abrir.- Clara, cheguei- Ricardo havia chegado.
- Estou aqui mor- ele entra eu estava somente com minhas calças.
- Hum... Precisa de ajuda?- ele se aproxima de mim pegando em minha cintura, posso sentir suas mãos sobre minha vagina uma tentativa de abrir meu zíper sabia que ele não gostava desse tipo de calça mas não podia ir trabalhar de calça leggy sempre.- Deixa eu ir tomar banho antes- esperava que ele fosse me acompanhar... Infelizmente estava errada um pequeno tapa na bunda recebo, acabo tomando banho sozinha.
Alguns minutinhos depois saiu do banho encontro ele nu em nossa cama, Ricardo tem 50 anos e apesar da idade ele ainda está com tudo em cima. Começo a subir na cama engatinhando indo em direção para seu minino que estava meio acordado, começo a fazer sexo oral e segundos depois o garotão acorda ele segura meu cabelo praticamente me forçando a engolir teu pênis.- Isso gatinha chupa o pirulito do seu coroa vai- olho para ele com uma cara confusa tipo "oi, chupa o pirulito do seu coroa" ele nunca havia falado assim mas acabo não ligando, minha minina como sempre estava começando a esquentar quando ele me pede para se deitar. Com minhas pernas abertas fico esperando ele esquentar minha garota, uma cuspida nela e segundos depois sinto teu pênis abrindo caminho ele me beija posso sentir  gosto de bebidas em sua boca, segundos depois.- Puta que pariu que delícia eu vou gozar mor huuuummmmmmm- ele já estava gozando.
- Isso mor vai gostoso eu tô go-go-gozando também aiiiii que delícia- mal ele sabia que nem estava perto de tal momento, um beijo e ele se levanta e desce acabo como todas as vezes na mão e isso já estava virando rotina ele sempre gozando eu sempre fingindo. Ele volta se deita ao meu lado e simplesmente apaga e era só 20: 46h da noite. 
Por volta das 22: 10h vou até a sala o bom de estarmos só era poder andar nua pela casa, sento no sofá não iria dormir sem ao menos dar uma gozada com minhas pernas abertas começo a passar os dedos na minha garota me arrependo de não ter levado meu vibrador mesmo tendo marido é sempre bom ter um consolo, coloco um dedo em minha vagina e começo um vai e vêm gostoso vou acariciando meu clitóris como estava gostoso aquilo, coloco um dedo em meu cuzinho minha nossa aquilo sim estava bom não aguentava mais e acabo gozando, segundos depois estava dormindo já.
Acordo no Sábado cedo faço um café maravilhoso para nós dois, Ricardo acorda já estava pronto.- Desculpe mor, esqueci de lhe avisar que hoje ia trabalhar- que homem deixaria a mulher na cozinha sozinho e nua sem ao menos dar uma atenção a ela... Meu marido era esse homem.
- Mas mor você não trabalha no Sábado- ele me dá um beijo e sai sem falar nada.
Vou até meu quarto, tomo um banho teria duas opções ficar em casa ou sair, a segunda opção era melhor o único problema era que havia deixado o carro no estacionamento ao lado da loja e onde eu iria. Resolvo ir para casa da mãe teria que chamar um Uber mais uma vez, não quis chamar o Pedro utilizo o aplicativo 5 minutos depois meu Uber chega. Estava vestida com uma Jardineira Jeans preta até os joelhos podia ser uma coroa mas gostava de me vestir como uma jovem, recebi uma senhora olhada da motorista que por sinal era também uma mulher atraente.- Tem algum problema eu passar no posto?- ela tinha um olhar angelical.
- Sem problemas querida- me sento no banco da frente.
- Nossa ganhei meu dia rsrsrs- ela tinha um lindo sorriso.
- Não costuma receber elogios? Linda desse jeito deve ter namorado não?- ela ri.
No caminho para posto ela acaba passando em frente a oficina do Ricardo que para minha surpresa estava fechada, não deixo aquilo me abater siguimos em frente tendo uma boa conversa. Alguns minutos depois chego na casa da minha mãe.- Nossa muito obrigada pela companhia... A propósito me chamo Suelen- falo meu nome a ela e saiu, dou uma pequena olhada em sua direção recebo de volta um lindo sorriso meia boca.
- Clara até que em fim chegou mana- Clarissa minha irmã mais velha me recebe na porta.
- Estou ótima mana e você? Onde a mãe está- minha irmã era divorciada, havia se separado do meu cunhado e agora era somente contatinhos, apesar essa era a moda de nosso século ter contatinho.
- Oi filha, como meu genro está? Minhas netas estão bem?- minha mãe era totalmente o inverso das sogras odiadas pelos genros, era um amor de sogra.
- Ah mãe suas netas estão ótimas e seu genro deve estar fazer valer o apelido de Ricardão- minha irmã cai na risada.
- Oque lhe disse no dia do seu casamento mana?- até parece que iria me lembrar do que ouvi no meu casamento.
- Rsrsrs, não me lembro Clarissa.
- Pois eu sim, lhe disse que o Ricardo não prestava e hoje você está vendo- ela por um lado tinha toda razão meu marido por algum motivo estava mentindo e precisava saber.
Passo um dia maravilhoso ao lado de minha família, minha sobrinha estava linda era outra também que estava nos esquemas.- Tia vêm conosco... Curtir uma boa praia- Camila era dois anos mais nova que Ruth e Raquel minha única sobrinha Clarissa a teve e dez de já passou a se cuidar.
16h36 da tarde me preparo para voltar a minha vida normal, sem carro seria obrigada a chamar novamente um Uber por mais que tinha o número de dois Ubers prefiro chamar pelo aplicativo. Dou um sorriso ao ver que havia muitos motoristas a disposição mas para minha sorte Suelen corresponde ao meu chamado. Antes que chegasse deu tempo de ouvir minha mãe.- Clara minha filha, siga teu coração não criei filha para ser traída- minha tinha razão e meu coração me falava que ainda iria chorar muito.
- Pode deixar minha mãe, o Uber chegou fique com Deus meus amores- um abraço gostoso recebo delas e sigo ao carro de Suelen.
- Olha só minha passageira preferida- aquele sorriso me encantou ainda mais.
- Suelen só você para me alegrar- não leva muito tempo para chegar, mas peço a ela para passarmos na minha loja precisava pegar meu carro, no meio do caminho sinto um aperto no coração e logo pudi constatar o motivo. Meu marido estava com uma ruiva que aparentava ter Deus 25 anos achei ser uma simples conhecida mas... Ele o beija na boca como isso, minha respiração rapidamente muda minhas mãos começam a suar noto que Suelen percebi.- Tudo bem Clara?- era visível meu estado no momento.
Acabo mentindo mas ela sabia que algo tinha mudado, Ricardo e a moça entram no carro dele e saem sabe lá Deus para onde. 
- Linda pode encostar aqui- chegamos em minha loja o estacionamento ficava ao lado, o dono era gente boa havia na frente da loja 6 vagas para clientes.
- Estou começando a me acostumar com esse tratamento teu gata- ela segura minha perna, foi inacreditável os pelos de meu braço se arrepiam.- Posso parar na frente dessa loja?- mal ela sabia que a Moda Feminina era minha.
- Sem problemas, pode deixar aqui na frente- ela estaciona em uma das vagas.
- Quer vim junto linda?- ela entra comigo na loja, contém 4 andares o primeiro moda casual, roupas e calçados, segundo moda íntima, terceiro estoque e o quarto andar escritórios.
Entramos no elevador, ela estava vestindo uma calça leggy preta e uma blusinha branca.- Algo aconteceu? Você mudou alguns minutos atrás- ela se aproxima de mim sua respiração estava acelerada, uma linda morena de 1, 65 metros de altura com um par de seios fartos uma barriguinha linda, um par de coxas de deixar qualquer homem excitado.
- Vi meu marido com uma mulher que tem idade para ser sua filha.
- Ah esses homens que não sabem dar valor a mulher que tem, acredito que ele não tenha motivos para fazer isso- ela se aproxima um pouco mais de mim.- Ah câmeras aqui linda... Mas no meu escritório não- eu não sabia oque tinha em mente, mas de uma coisa sabia tinha que dar um jeito na minha vida.
Chegamos no quarto andar onde ficava os escritórios.- Nossa como é grande aqui- ela se espanta com o espaço que por sinal era bem grande, 6 salas haviam no espaço cada uma com capacidade para dois funcionários e no centro de todas a minha sala.- É quer alguma coisa? Vamos ver oque temos aqui... Suco natural, refrigerante ou água?
- Muito obrigada- ela pega uma garrafa d'água.
- Não sei você mas assim que sair daqui vou é encher a cara- estava encostada na minha mesa ela se aproxima de mim.- Isso foi um convite?-  minhas mãos estavam suadas, ela chega bem próxima de mim posso sentir sua respiração acelerada.
- Se estiver afim... Se teu namorado não sentir ciúmes!- ela se vira.- Minha gata isso tudo aqui não tem dono- ela para bem na minha frente e empina aquela bunda maravilhosa para mim, um sorriso meia boca ganho.
- Bem hoje se você quiser tudo isso pode ter uma companhia- seguro na cintura dela sem malícia alguma.
- Vou adorar sua companhia- ela se vira me dando aquele sorriso.
Ficamos ali alguns minutinhos e saímos em direção ao estacionamento.- Tarde seu João, vim buscar meu carrinho- Suelen ficou no carro dela, segundos depois saiu do estacionamento.- Eai linda onde vamos encher a cara?- ela faz um sinal como se quisesse que eu seguisse e assim faço.
No caminho meu celular vibra:" Meu amor estou com um problema aqui na oficina, sei que já são 17h36 provavelmente chegarei tarde" as mentiras dele não me afetam mais, vejo o carro de Suelen dar ceta ela entra em um condomínio, deixo meu carro no estacionamento na frente do condomínio e desço.- Você têm oque de bom na sua casa de bebida... Lógico tirando você rsrsrs- estava começando a ficar com medo de mim e de ela achar que eu era lésbica.- Você bebe Jurupinga?- entro no apartamento dela, um local simples e aconchegante. Ela morava no penúltimo andar do prédio dela assim que entramos ela tira a blusa dela.- Você não se importa de eu ter tirado a blusa né?- ela fica só de sutien preto.
Ela liga o rádio aquela noite seria perfeita, começamos a beber a Jurupinga, sua cozinha era pequena mas bem arrumada. Enquanto ela prepara uns petiscos fico admirando suas curvas.- Quer ajuda em alguma coisa?- ela vira o rosto para mim com breve sorriso.- Uma massagem seria ótimo rsrsrs- eram exatamente 18h45 da noite quando começo a massagear seus ombros.
Tudo aquilo estava excitante era novo para mim, sou uma mulher madura de 45 anos... Minhas filhas podiam ter a idade dela.- Assim você me ganha fácil- sua respiração muda.- Você quer ser ganhada por mim? Acho que lhe ganhei apartir do momento que entrei no seu carro- ela se vira, dezabotoa o sutien seus seios eram firmes.- Aqui está pronto, me acompanha no banho?- ela me pega pela mão.
Invista do banheiro da minha casa que é enorme o dela é pequeno mas por outro lado bem arrumado, ela tira sua calça estava com uma calcinha fio dental branca, começo a tirar minha jardineira e a blusa por incrível que pareça também estava com uma calcinha fio dental só que preta. Ela entra no box e me chama aquela água quente deixou o clima mas excitante.- Deixe o clímax tomar conta de você, é uma honra ser sua primeira- ela me envolve em seus braços fecho meus olhos e faço oque ela pede.
Quando menos espero Suelen me vira me deixando com as mãos no vidro do box não sei se foi o clímax ou o costume acabo empinando a bunda.- Isso minha gatinha empina vai- posso sentir seus lábios passando sobre minha pele ela sabia oque fazia posso sentir seus dentes morder minha calcinha, ela desce até os meus joelhos e termina tirando com as mãos.
Mordidas e lambidas vou ganhando em cada centímetro de minhas pernas era inacreditável a sensação de prazer que estava sentindo, sinto suas mãos em minha bunda, uma mordida mais forte acabo ganhando.- Aiiii cachorra- ela sobe com tudo.- Desculpa gata... Não quero lhe machucar- ela me abraça segurando meus seios, outras mordidas vou ganhando mas dessa vez no pescoço ela mais uma vez desce até minha bunda empino um pouco, sinto sua língua levemente passando em meu ânus uns de seus dedos abre caminho sobre minha vagina que já estava parecendo uma lagoa de tão molhada.- Nossa que delícia, isso chupa vai aiiiii caralho isso- mordo meus lábios, sinto uma pequena mordida em lábios vaginais minha nossa como ela sabia oque estava fazendo.
Desligamos o chuveiro e nos encaminhamos para o quarto dela, estava tendo uma experiência lésbica maravilhosa e uma visão melhor ainda, Suelen na minha frente somente de fio dental chegamos no quarto noto a cortina aberta mesmo sendo o penúltimo andar era possível ver o outro apartamento Suelen vai engatinhando pela cama e fecha a cortina ela se vira para mim.- Assim não corremos ricos, vêm minha gatinha- ela abre as pernas e me chama.
Já estava nua mas ela ainda estava de fio dental, suas pernas estavam abertas me coloco no meio delas.- Minha vez de mostrar oque sei- pego ela pela cintura à coloco em meu colo, a beijo loucamente com minhas mãos aperto firmemente sua linda bunda ela estava bem excitada já assim como eu. A viro de costas para mim começo a dar pequenas mordidas em seu pescoço e vou descendo dando mordidas e lambidas em cada parte de seu corpo, chego em sua bunda dou uma mordida no fio dental e vou descendo até chegar em seus pés.- Você quer um Strap-on?- ela me oferece um vibrador acoplado a uma calcinha.- Você quer?- ela me mostra onde estaria ele, uma mulher sempre pede ajuda a um vibrador rsrsrs.
Visto a calcinha que continha um vibrador negro de seus 20 centímetros começo agora a subir devagarzinho até chegar em sua bucetinha seria a vez dela empinar a bunda, aquela bucetinha estava lisinha e molhadinha era a primeira vez que estava fazendo isso resolvo tirar o Strap-on queria sentir um prazer sem um pinto de borracha dentro de mim, abro bem sua bunda como estava empinada sua bucetinha ficou perfeitamente apetitosa coloco um dedo dentro dela.- Ai caramba que delícia- ela começa a rebolar.
Vou chupando ela como uma louca no cio, enfio minha língua dentro de sua bucetinha coloco em seguida meu dedo ela não aguentava mais e nem eu acabo colocando o Strap-on uma pequena levantada ela estaria de quatro, vou colocando lentamente aquele vibrador todo em sua bucetinha começo a fazer um vai e vêm intenso enquanto puxo seu cabelo, estava sendo maravilhoso tudo aquilo, Suelen gemia gostoso e pedia para fuder ela com mais força não sei se era vontade de ser fudida daquele jeito mas começo a dar tapas na bunda e puxar seu cabelo com mais força.- Aí minha buceta isso gata fodi minha buceta vai aí ca-ca-caramba eu vou gozar- o tesão foi tanto que Suelen têm um orgasmo delicioso maravilhoso.
Me deito ao seu lado ficamos alguns minutos se acariciando até que ela coloca o Strap-on.- Sua fez de gozar gata- uma esfregada em minha buceta que era pequena seus lábios eram bem escondidos, Suelen me fodia sem dó aquele vibrador todo dentro de mim me fazia ir ao céu e voltar. Suelen se deita sobre mim e começamos a nós beijar loucamente ela continua a me fuder com mais força, consigo colocar meu dedo em sua bucetinha ela me fudia com o vibrador enquanto eu fudia ela com os dedos.- Assim gata vou gozar novamente, não para- começo a ter múltiplos orgasmos travo minhas pernas sobre sua cintura acabamos nós duas mijando na cama.
Minutos depois pegamos no sono, logo cedo no dia seguinte sou acordada com um maravilhoso oral, aquele dia passamos juntas curtindo alguns filmes e gozando muito... Eu uma coroa de 45 anos encontrei o prazer ao lado de uma menina de 26 anos que podia ser minha filha. Hoje depois de 2 meses me assumi lésbica eu e Suelen estamos nos amando a cada dia e o melhor de tudo minha família me aceitou e adora minha morena....

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Lésbica
Visualizações 282
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 4004
Tempo estimado de leitura: 20 minutos

Afiliados