Arrombado pelo rapaz roludo e meu marido ajudando Publicado por 352846 em 19/12/2022 em Sexo em grupo

"Quando fui arrombada, por um rapaz com uma rola gigantesca e meu marido acabou ajudando."

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

E ai pessoal, aqui é a Mari, como relatei no conto anterior hoje sou casada com o Paulo, a mais de 4 anos, tenho filhos do primeiro casamento e ele tem 1 também do primeiro casamente dele o Dinho, somos um casal padrão classe média e o meu relacionamento hoje com meu marido é ótimo, temos uma cumplicidade total, porque meu marido é do tipo que na hora do sexo procura colocar um tempero a mais em nosso relacionamento, principalmente depois que ele descobriu que eu estava transando com o filho dele direto e que eu tinha sempre que possível me relacionado com outros homens e mulheres, mas a diferença agora era que ele teria que participar das aventuras.

Temos uma casa em uma cidade litorânea no Pará e quando estamos lá costumamos fazer happy hour de vez em quando em barzinhos, localizados próximos a orla da praia, é bem gostoso ver o por do sol, hoje meu marido gosta de ver os homens me secarem, descobri que é um fetiche dele, ele sempre diz que eu sou gostosa, que tenho uma bela bunda e curvas provocantes, as vezes ele sugere que eu coloque uma roupa mais sensual do tipo que chame a atenção dos homens, ele adora me ver sendo desejada e eu também, ele sempre diz os outros me comem com os olhos e lambem com a testa, só que no fim da noite quem levava o prêmio para casa era ele.

Normalmente nessas nossas saídas eu já coloco alguma saia bem curta e quase transparente, calcinha minuscula e alguma blusa bem decotada, sem nada por baixo, quando os homens me veem eles me comem com o olhar, eu que não sou de ferro as vezes fico excitada meu marido também percebe esses olhares furtivos, sinto que ele gosta pois sabe que me excito com isso, mulher gosta de ser desejada e eu não sou exceção. 

Sempre que saímos procuramos nos sentar em alguma mesa mais afastada para termos privacidade,  e assim começarmos a curtir uma bebidinha, num desses dias depois de varias doses, percebemos  dois rapazes sentados numa mesa bem na nossa frente que não tiravam os olhos de mim, mesmo eu estando acompanhada, Paulo percebeu e comentou comigo dizendo que eles estava querem me comer.

Eu respondi, acho que eles estão olhando as minhas coxas, porque minha saia mal cobria ou querendo ver minha calcinha, na hora meu marido disse que aquilo estava deixando ele excitado e falou para eu provocar um pouco e completou da uma cruzadinha de pernas, só para ver o jeito que eles ficam, fiquei meio sem jeito mas topei a brincadeira, então cruzei minhas pernas com o propósito de mostrar um pouco mais para eles, me subiu um tesão enorme.

Eu acabei gostando dessa brincadeira, observei que o Paulo não estava se importando com a minha exibição, pelo contrário estava gostando, percebi que seu pau estava ficando duro dentro da bermuda, falei para ele que estava dando bandeira, discretamente ele ajeitou o pau dele vendo que ele estava excitado resolvi dar mais corda na brincadeira e resolvi mostrar os peitinhos, para isso deixei cair o talher no chão e me abaixei para pegar, ao me abaixar meus peitos se mostravam parcialmente para eles, já que meu decote era bem generoso e como sempre, eu estava sem sutiã, ao fazer isso senti um frio na barriga, aquilo tudo era uma loucura, me veio um tesão maluco, Paulo pediu que eu tirasse a calcinha ali mesmo e lhe desse por baixo da mesa, achei que o Paulo estava exagerando, mas la no fundo eu estava adorando a ideia.

Olhei para meu marido e falei você quer que eu tire a calcinha? Tem certeza? Diante da confirmação dele falei, por mim tudo bem, mas depois não vai se arrepender, os dois rapazes não paravam de me olhar, então discretamente comecei a tirar a calcinha ainda sentada, levantei um pouco a bunda e baixei a calcinha com cuidado para ninguem alem dos dois rapazes verem, tirei a calcinha e passei por baixo da mesa para o Paulo, foi uma sensação indescritível de tesão, fazia muito tempo que eu não fazia algo assim, olhei para meu marido percebi que ele estava com um sorriso maroto nos lábios e me falou, que estava  adorando me ver excitada, minha calcinha estava toda molhada.

Me levantei e fui ao banheiro, quando voltei até a mesa, tive uma surpresa, os dois rapazes e o Paulo estavam sentados juntos, sem saber o que fazer fiquei só imaginando o que meu marido pretendia com os dois rapazes, afinal eu tinha acabado de deixar aqueles dois rapazes malucos me mostrado e agora eles estavam na nossa mesa, quase morri de vergonha e tesão, a principio fiquei até braba com o Paulo, mas a medida que a conversa se desenrolava a coisa foi ficando mais interessante, eles começaram a falar sacanagem mesmo, para não ficar de fora entrei na   brincadeira.

Foi então que pensei agora é minha vez de aprontar com o Paulo, fui até ele, enfiei a mão no bolso onde ele havia guardado a calcinha e soltei a calcinha em cima da mesa, ele olhou e arregalou os olhos, se aproximou de mim e disse ao meu ouvido, tesão de mulher, os dois rapazes não tiravam os olhos dos meu seios, que eu propositalmente fazia movimentos provocativos quando ia pegar o  copo e um dos meus peitinhos sempre deixava a mostra o bico, essa brincadeira durou um tempinho até que o Paulo que já estava bem tonto pela bebida e os demais naquela mesa também, pegou minha calcinha cheirou na frente dos dois rapazes, dizendo era a calcinha mais cheirosa do mundo.

Então um rapaz disse, então agora temos que ver se a buceta dela e cheirosa mesmo, fomos até o estacionamento, ao chegarmos no carro meu marido abriu a porta e me disse que sentasse no banco de traz, junto mandou que os dois rapazes sentassem um de cada lado e que ele ficaria no banco da frente só olhando, logo me vi sentada no meio daqueles dois rapazes, jovens, lindos tarados e claro de paus gigantescos e duros, meu marido então disse, pode passar a mão na buceta dela e cheirar, era uma loucura, percebendo que meu marido estava bêbado os dois começaram, um levou a mão na minha bucetinha acariciando, que loucura, eu permanecia com os olhos fechados, sentindo todo aquele prazer.

Foi então que o outro segurou minha mão e levou até seu pau duro, nossa ele já tinha tirado o pau dele para fora e na hora que senti aquilo na minha mão, abri os olhos, o que era aquilo, grande e duro, muito duro era um cacete enorme durissimo e grosso, sem perder tempo o outro rapaz, pegou a minha outra mão e pois sobre sua calça onde por baixa tinha algo enorme, comecei a cariciar tentando sentir mais aquilo, vi que não era normal não era como o do outro rapaz. 

O negocio estava rumando para uma boa suruba, comigo no meio de três homens, mas no estacionamento era arriscado, me recusei alegando que eu não queria ser pega de surpresa por alguém estranho, falei para o Paulo, para gente ir embora pra casa, ele concordou e falou mas só se os dois rapazes vieram com a gente, concordei na mesma hora e lá fomos nós para nossa casa.

Chegando em casa eu já sabia que ia rolar, Paulo estava maluco e fazia algum tempo que eu não participava de uma suruba, chegamos em casa e começou aquela pegação toda de novo, comecei a abrir a calça de um dos rapazes, cujo nome não sei até hoje, enfiei a mão para puxar aquele membro enorme para fora, tive dificuldade e ele me ajudou, eu não podia acreditar no que estava vendo, era um cacete enorme, grosso, cheio de veias, uma cabeça vermelha parecia até inchada, o cacete era tão grosso que com uma mão só eu não conseguia não segurar, sem querer falei minha nossa que enorme, o Paulo então me falou e perguntou, gostou? E completou é desses que toda mulher gosta não é? eu respondi é muito grande não tem condições, faz tempo que não enfrento um desafio desses, acho que não vou aguentar, mas o rapaz logo me falou, calma é só ir devagar e com carinho que com jeitinho vai, eu disse esse monstro vai me arrombar toda, o rapaz falou, não tem problema coloco só até onde você aguentar, meu marido então disse, então vamos dar um jeitinho.

Eu preferi transar com o outro rapaz primeiro, que não tinha o pau tão grande, abracei ele e disse voce foi o premiado, voce que vai ter o privilégio de me comer primeiro, então eu agachei e comecei a fazer um boquete nele, até que ele me pegou de jeito, me jogando no sofá e metendo aquela rola gostosa, ele ficou me penetrando por quase 15 minutos ate gozar, enchendo minha buceta de porra, Paulo observava tudo e tocava uma punheta, até que eu percebi que ele ia gozar e comecei a chupar ele, fazendo ele gozar na minha boquinha.  

Agora chegou a vez do rapaz bem dotado, peguei aquele pauzão duro e grosso e comecei a bater punheta nele, não demorou ele me fez ajoelhar e colocar a boca nele e veio um jato de esperma quente e grosso, acabei me engasgando com a quantidade de porra, neste momento vi meu marido e o outro rapaz, na minha frente com os paus duros se masturbando, coloquei os cacetes deles na minha boca, fique alternando a chupadas até eles gozarem na minha boca.

Que loucura eu, estava me sentindo viva novamente, fazia muito tampe não fazia uma dessas, foi quando o rapaz bem dotado veio por trás de mim, me colocou de quatro e segurou bem forte e apontando a cabeçorra para minha buceta, foi enfiando aos poucos e apesar de eu achar que não iria aguentar, eu estava recebendo bem aquela vara, lembrei de um texto sobre memoria muscular e recordei que a minha buceta a alguns anos atrás recebia direto cacetes daquela bitola, aos poucos ele foi enfiando, parecia que eu tava tendo um filho de fora para dentro, mas depois que meu corpo assimilou, já não sentia mais dor, só pedi para que ele não desse estocada muito fundo no começo, porque machucaria meu útero, mas ele não exagerou, quando ele sentia que já tinha entrado tudo o que podia, ele aumentou o ritmo das estocas e eu sentia ele empurando o meu utero, eu griva e gemia alicinadamente, Paulo e o outros rapaz se acabavam na punheta, quando finalmente ele gozou, foi tirando vagarosamente o monstro de dentro de mim.

Depois dessa transa eles foram embora, foi quando o Paulo me disse que não era acaso o que tinha acontecido, ele me contou que ele tinha contratado os dois, que eram garotos de programa, só para me dar esse presente e disse ainda que eu poderia repetir quando quisesse, foi quando falei, então vamos marcar outra aventura dessas para breve, dito e feito, dois dias depois, na véspera da gente ir embora para nossa cidade, ele ligou para eles e marcamos para um Motel, 

Só que o Paulo dessa vez contratou apenas o rapaz do pauzão, marcamos o lugar para nos encontrarmos, chegando no motel ao entrarmos na suíte, o Paulo ligou a TV e colocou num filme pornô e disse tudo o que rolar no filme pornô nos vamos fazer, eu sabia que estava lá para fuder muito, minha adrenalina subiu, fui a loucura e o Paulo disse, hoje vamos liberar geral vamos curtir, os dois ficaram logo pelado e eu em seguida, vieram até mim e tiraram minha roupa entre amassos e beijos, os dois começaram a me alisar, sentir aqueles mãos me acariciando era tudo de bom, o que me deixava com muito tesão, Paulo me pediu para que eu deitasse na cama, logo um começou a chupar minha buceta e o outro veio pelo lado da cama e colocou o pau para que eu chupasse, o rapaz do pauzão tentou encaixar aquela tora em minha boca, desajeitadamente comecei chupar com vontade, meu marido me chupava ao mesmo tempo que acariciava meus peitinhos, minha buceta estava em chamas, não resisti gozei e sem me dar tempo para me recompor, o rapaz deitou na minha frente com o cacete duro apontado para o teto e me mandou sentar em cima, ao mesmo tempo em que meu marido começou a meter em mim por traz, aquele cacete me abria toda, enquanto o Paulo me enrabava, eu sentia as estocadas fortes por trás, só pensei, ainda bem que não era o do cacete rapaz, porque se fosse eu estaria arrombada, quando finalmente os dois gozaram, saimos daquela posição, deitamos os tres na cama.

Eu no meio abraçando meu marido enquanto o garotão encaixado por traz de mim, senti que ele  estava esfregando aquele cacete enorme na minha bunda, procurando um caminho para entrar no meu cuzinho, isso realmente me deixou doida, resolvi deixar ele tentar, quando senti aquela anaconda tentando abrir caminho em meu cuzinho estava rasgando, gritei e pedi para ele parar na hora, mas ele parecia estar tarado pela minha bundinha, não queria parar, mas meu marido falou que tudo que estivesse passando no filme, iriamos fazer e bem nessa hora tinha uma negro com uma rola descomunal arrombando um cuzinho, Paulo abriu minha bunda e lubrificou meu cuzinho, o Rapaz com uma pontaria de mestre acertou a cabeça da anaconda dele bem no centro do meu cuzinho, a cada centímetro que entrava eu gemia mais alto, quando ele já tinha colocado a metade, ele começou um vai e vem lento, Paulo vendo aquilo, ficou novamente com o pau duro e colocou na minha boca para chupar.

Foi quando senti o rapaz aumentar a velocidade do vai e vem, me penetrando cada vez mais, comecei a gritar de dor e prazer, paulo vendo aquilo, gozou fundo na minha garganta me fazendo quase engasgar, eu sentia o cacete do rapaz dentro de mim me abrindo toda, me rasgando, era uma sensação que a muito tempo eu sentia, ele metia em mim com vontade, me arregaçando toda por trás, eu não resisti gozei novamente com aquele pau dentro do meu cuzinho, foi quando as estocadas aumentaram e em poucos segundos o rapaz gozou dentro do meu cuzinho, que agora era um cuzão arrombado, era pela primeira vez também meu marido viu uma mulher aguentar ao vivo um cacete daqueles, ele estava abismado, pois era muita porra que escorria do meu cuzinho. 

Quando eu comecei a me recuperar, o rapaz me olhou e mandou eu olhar para o filme, Paulo rapidamente olhou para a TV e a imagem era de dois caras fazendo uma DP na mulher, o rapaz deitou na cama e mandou eu sentar novamente no pau dele, eu já não aguentava mais, mas eles insistiram e acabei sedendo, foi lentamente absorvendo aquela tora gigante na minha buceta e o Paulo foi penetrando o meu cuzinho, não demorou muito eu os dois gozando juntos dentro de mim, ainda bem que gozaram juntos, porque depois daquela maratona sexual eu já não estava mais aguentado, acho que o peso da idade acabou me alcançando, tomamos banho os tres juntos e fomos embora para nossas casas.

Em casa agradeci ao Paulo por ter me dado tanto prazer, meu marido disse que adora me ver sendo arrombada, aprendi que, não vou ficar traindo meu marido ou deixar de gostar dele, minhas fantasias serão realizadas com nos dois participando, hoje mais madura percebo que homem gosta de mulher safada, tarada, que da gostoso e faz de tudo sem cerimônias, porem claro sem ser puta ou infiel, essa de trair é coisa do passado o negocio é curtir juntos e quando ele não quiser mais, procuro outro que queira curtir junto comigo do meu jeito.

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor 352846
Categoria Sexo em grupo
Visualizações 435
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 2994
Tempo estimado de leitura: 15 minutos

Afiliados