O dia que eu dei para uma trans Publicado por anônimo em 14/02/2018 em Transexuais

"Cheguei no prédio, logo na recepção encontro a Heloá, linda, toda arrumada me mandando beijinhos. "

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Comprimento ela e logo vamos para o elevador. Começamos a nos beijar e dar uns amassos ali mesmo e começo a sentir seu pau contra o meu. 
Chegando em seu apartamento, ela pergunta se eu queria fazer ali na sala mesmo. Logo começamos a nos beijar de novo e começo a pegar no seu pau 
por cima da roupa. Até que ela coloca para fora e me manda chupar. Eu ajoelho e começo a chupar aquele dote maravilhoso de 19cm e grosso, uma delícia de pau.


Enquanto eu mamava aquele pau, eu olhava em seus olhos, com aquela carinha de quem tava gostando. 
Quando vi já estavamos pelados e ela me chamando para sua cama. Deitamos e continuei a mamar aquele pauzão até que pedi para ela por a camisinha.
Ela colocou e lubrificou bem e mandou eu sentar. Sentei bem devagar, sentindo aquele pau rasgando meu cuzinho, foi bem dolorido no começo, mas logo já estava com ele todinho dentro de mim.
Fiquei mexendo devagarinho, e conforme foi passando a dor, fui aumentando o ritmo, estava amando. Ela com sua mão cheio de lubrificante, começou a bater uma punheta pra mim enquanto eu sentava,
até que não aguentei aquela explosão de prazer, e acabei gozando no começo da transa rs. Ela até deu uma risadinha. Porém continuou duro, estava muito bom. 


Logo ela perguntou se não queria trocar de posição e acabei ficando de 4 no sofá com ela em pé, foi aí que ela começou a me foder com força, estava doendo porém tava muito bom sentir minha bunda bater na cintura dela,
estava nas estrelas, levantei um pouco e comecei a rebolar naquele cacetão, já nem sentia dor mais... Ela me enchia de tapa, me chamava de safado.
Falava: "isso putinha, que cuzinho apertado, safada" 
Eu: "sou sua putinha? Então fode sua putinhaa!"
E estava gemendo muito. Até que pediu para eu ficar de frango assado e começou a me foder de novo. Nisso ela já estava anunciando seu gozo.
Pediu para eu gozar também. Nisso ela começou a me bombar com força, não aguentei e acabei gozando de novo. Ela gozou também e me beijou. 
Após isso fomos nos limpar e ficamos conversando no sofá até o fim do tempo. 
Foi muito bom, amei! 

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 0

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Transexuais
Visualizações 274
Avaliação 0 ( votos )
Comentários0
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 456
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Afiliados