Uma Tentação TRAP Publicado por anônimo em 04/10/2019 em Transexuais

" Faz dois anos que me mudei para outra cidade. Larguei minha vida antiga e boa perto dos meus pais para tentar algo à fora. Achei que conseguiria um trampo rápido, um cara novo numa cidade pequena, encontraria um emprego fácil. Mas não foi bem assim!"

Conto adicionado a favoritos
Autor adicionado a favoritos
Conto já adicionado a favoritos
Autor já adicionado a favoritos
Conto salvo para leitura posterior
O conto já estava em sua lista para leitura posterior

Um cara de 36 anos sem descolar um trampo. Eu estava pensando em ligar para casa, pedir uma grana para me mandar desse lugar. Quando um amigo me ofereceu abrigo. Ele ficou sabendo que fui despejado do apartamento onde eu estava por não pagar o aluguel em dias, meus pais não mandavam mais dinheiro para mim a essa altura. Então, eu acabei aceitando.

- “Só espero viver de boa com meu amigo, até eu conseguir um emprego”, foi o que eu pensei. Só não contava com um detalhe...

Louise: - Oi. Eu estava te esperando. – Exclamou uma jovem dos olhos azuis ao abrir a porta.


~Uma Tentação TRAP~


Neil: - Caramba, ela é muito gata! – Pensava olhando para ela.

James: - E ai cara! Bem-vindo a minha casa. – Exclamou cumprimentando-o.

- Esse é o James. Um ano mais velho que eu.

James: - Poderia levar as coisas do Neil para o quarto de cima, Lu?

Louise: - Claro, papai! Deixa eu terminar de ajeitar esse jarro com flores. – Exclamou gentilmente.

James: - Você não tem muita coisa, né?

Neil: - Hm, não. – Exclamou não conseguindo evitar de olhar para a garota. – James, quem é ela?

James: - Ela? Oh, não. Ele é meu filho.

Neil: - EH!? – Confuso das ideias.

James: - .... É que ele gosta de vestir esse tipo de roupa.

Neil: - Ele é.... Você sabe...

James: - Sim, ele é. – Respondeu naturalmente. – No começo eu não aceitei bem. Mas se eu não apoiar ele. Quem vai? – Dizia. – Tanto faz o que ele quer ser. Ainda é e sempre será meu filho...

Neil: - Não acredito que isso é um garoto.... Puta merda! Porque ele é tão sexy? – Pensava olhando para o menino da cabeça aos pés.

Ele observa o corpo dele com uma certa luxuria. Afinal, “Louise” tem um corpo bastante feminino. Rosto fino, lábios delicados, os cabelos compridos pretos com mechas violetas e uma franja presa a um grampo, cinturinha tipo violão, bunda perfeitinha e seios pouco avantajados.
A camisetinha branca e curta com aquele shortinho apertado preto, mesmo que marcasse o “pacote” do garoto, só chamava mais os olhares indiscretos de Neil...

Neil: - EITA NOIS! Agora lascou geral! Puta merda...! – Pensava todo aceso.

James: - Vem. Vamos lá na cozinha um estante...

Logo depois na cozinha...

Neil: - .... Nossa. Eu nunca imaginei que seu filho fosse tão diferente...

James: - Não vai me dizer que você é um desses babacas preconceituosos? – Dizia preparando uma bebida.

Neil: - Até parece que você não acha bizarro...!

James: - Não tem nada de bizarro. Para falar a verdade, eu também fui um desses que criticava pessoas assim. – Dizia. – Mas meu filho me ensinou a aceitar as diferenças.

Neil: - Você está tão meloso... – Tirou graça.

James: - Não enche! – Exclamou sorrindo dando-lhe a bebida.

Neil: - Ele é tão feminino que mesmo de perto, não dá para notar. Ele toma hormônios, essas coisas?

James: - Sim.

Neil: - Quantos anos ele tem?

James: - Fez 18, semana passada. Foi uma comemoração bem particular. Ele não tem muitos amigos. E os poucos que tem são como ele, e algumas garotas... – Exclamou bebendo um gole.

Neil: - Hm. E como ele está encarando a coisa toda do divórcio?

James: - .... Melhor do que eu. A mãe dele veio para o aniversário, mas ela e eu acabamos discutindo de novo. – Dizia. – Ela ainda tem vergonha por ele ser do jeito que é. E parece que gosta de jogar isso na cara dele...

Neil: - Deve ser difícil para ele.

James: - Na verdade, ele não está nem aí!

Os dois começam a rir da coisa toda...

Louise: - Ah, vocês estão ai! – Exclamou chegando na área. – Aceitam uns biscoitos?

Neil: - Hm~ eh~ obrigado... – Disse pegando um.

James: - Tenho certeza de que estão bons, mas vou passar. – Exclamou. – Preciso terminar de ajeitar o encanamento lá fora. Lu, poderia levar o Neil até o quarto dele?

Louise: - Tudo bem.

Neil: - Opa! – Pensou meio nervoso.



Pouco tempo depois, Louise o levou para conhecer seu quarto...

Louise: - .... Espero que goste. – Dizia abrindo a porta. – Eu andei dando uma limpada...

Neil: - É bem grande. – Exclamou entrando.

Louise: - Então, o meu pai dorme no quarto ao lado. E meu quarto é esse na frente do seu.

Neil: - ...

Louise: - Qualquer coisa, se precisar de algo no meio da noite. É só bater na minha porta, ok?

Neil: - Obrigado. Você é muito gentil!

Louise: - Eu te vejo mais tarde no jantar. – Disse todo tímido antes de sair.

Os dias iam se passando, Neil e Louise ficaram tímidos com a presença um do outro no começo, mas logo se acostumaram com as idas e vindas pela casa. Embora, eles pouco se falassem. Louise reparava nele algumas vezes, como quando às vezes ele anda apenas de toalha pela casa, ou está sem camisa em algum momento. Louise fica discretamente de olho nele, embora ele tente disfarçar as ereções que tem quando fica admirando o corpo do Neil.
Por outro lado, Neil já havia sacado que Louise fica secando ele algumas vezes, mesmo que o mesmo tente disfarçar as olhadas. E sabendo disso ele fazia questão de provocá-lo sempre que podia, fazendo parecer tudo acontecer de forma “natural”.

A verdade é que Neil queria provocar algum tipo de sentimento em Louise, enquanto tentava ao mesmo tempo ganhar coragem. Coragem para tentar dá uns pegas nele, uma ideia que assola a mente dele desde que chegou na casa, e pôs seus olhos em Louise.
O fato de Louise parecer tão feminina a ponto de fazer qualquer um esquecer que por trás daquela protuberância toda, na verdade é um homem, era um fator crucial para que Neil perdesse a noção do que “é e o que não é”. Afinal, ele ficou gamado no quão “perfeita” é Louise, a ponto dele parecer atraente demais aos olhos de Neil. O que às vezes embaralhava a mente do homem de 36 anos.

Mais uma porrada de dias depois...

Neil: - Está sendo bem complicado viver aqui... – Pensava indo até a cozinha.

Ele pega um copo e vai até a torneira enchê-lo com água...

Neil: - ... – Bebendo água.

Louise: - Tenho que lavar a louça. – Pensava descendo as escadas e indo direto para a cozinha.

Como obra do “acaso”, os dois acabam se esbarrando na cozinha...

Louise: - ...! – Olhando para ele.

Neil: - ...! – Tentando não ficar nervoso.

Louise: - O~ oi! – Exclamou se aproximando.

Neil: - E aí. – Respondeu.

Ele se afasta para Louise ir até a pia lavar a louça. Neil fica bem atrás a poucos centímetros de distância. Ele dá uma boa olhada no look da Louise vestida em um top feminino cor cinza, com micro short preto e meia calça 7/8 preta...

Neil: - Então, cadê o seu pai?

Louise: - Ainda está no trabalho. Parece que teve uma emergência por lá. – Dizia lavando a louça.

Neil: - Hm. – Olhando daquele jeito por trás.

Louise: - Você já recebeu alguma ligação de algum emprego?

Neil: - Ainda não...

Louise: - Não desanima. Você vai conseguir!

Neil: - Valeu. – Exclamou.

Louise inventou de abrir a dispensa que fica em cima da pia. Quando abriu a porta alguns produtos mal colocados despencaram por cima dele...

Neil: - Cuidado! – Exclamou soltando o copo d’água.

Curiosamente nessa soltada do copo, acabou molhando o shortinho da Louise...

Neil: - Você está bem? – Exclamou bem coladinho por trás dele.

Louise: - .... Estou bem. – Exclamou passando a mão na cabeça. – Nossa! Meu pai não sabe mesmo arrumar a dispensa.

Neil: - Aqui. Eu vou te dando e você vai jogando tudo de volta aí dentro...

Aproveitando-se do momento, Neil ajudava Louise dando-lhe os produtos que tinham caído, para ele por de volta no lugar. Mas claro que ele não arredou o pé detrás da Louise, aproveitando para dar aquelas enconchadas bobas...

Louise: - Ele está muito perto de mim... – Pensava com o rosto vermelho.

Louise pode ter aquela cara de bobinho gentil, mas de bobo não tem nada...

Neil: - Puta bundão ele tem. – Pensava olhando bem para a circunferência.

Louise sentiu algo cutucando seu bumbum, mas fingiu não saber de nada, ficando na dele...

Neil: - Droga! Meu pau está reagindo! – Pensou nervoso com a vara encostando nele.

Louise: - Ele ficou duro?! – Pensou surpreso.

Os dois estão nervosos demais, mas não expressão nenhuma vontade de cortar o clima...

Louise: - Ele parece ser grande. Tenho que pensar rápido em alguma coisa. – Pensava bolando umas ideias.

Neil: - Ah, não! Tenho que me mandar antes que~~ - Pensava se afastando.

Louise: - Não.... O meu short molhou. – Exclamou com uma voz delicada demais.

Neil: - Desculpa! A culpa é minha...!

Louise: - Você tentou me proteger. Está tudo bem. – Dizia estando de costas para ele, apoiado na pia. – Você poderia me ajudar a limpar...?

Neil: - GULP! Bem, se é o que você quer...

Louise: - Obrigado! – Exclamou bem fofinho.

Neil chega junto tentando segurar a onda. Enquanto Louise tentava mandar as ideias sem parecer estar sendo atirado demais, mesmo sendo essa a ideia...

Neil: - Eu... Molhei a sua bunda todinha... – Exclamou querendo tocar nele.

Louise: - Espera! Vai ficar melhor se eu fizer assim...

Neil: - O que está fazendo?! Não tira a roupa... – Exclamou todo nervoso vendo ele tirar o short.

Louise: - Assim vai ficar mais fácil de me limpar... – Disse pegando de uma forma insinuante em seu bumbum.

Neil: - Estou vendo ele peladinho! – Pensava tentando manter a linha.

Louise: - Eu tenho a bunda grande, não é? – Exclamou mandado os papos logo na cara.

Neil: - É. Combina com seu corpo feminino... – Dizia todo duro lá embaixo.

Mas Neil não é o único que está duro...

Neil: - Nossa. Que rabão bonito. Ele é todo lisinho... – Pensava todo cheio de vontade.

Louise: - Olha só para a cara dele. Ele está começando a perder a linha... – Exclamou gostando da reação dele.

Neil: - Então, o que eu uso para limpar?

Louise: - Pode usar aquela toalha. Ou sua camisa. Ou se quiser... – Dizia com uma voz “mau” intencionada, abrindo a bunda mostrando seu lindo “botãozinho”. - ... Use sua língua!

Neil: - Quê?!! – Exclamou surpreso. – Eu posso ver tudo! – Pensava dando uma boa olhada luxuosa. – Quer mesmo seguir por aí? Ainda dá para parar...

Louise: - Estamos nos segurando a dias. Vai dizer que não ficava olhando para mim...?! – Exclamou todo convencido.

Neil: - Você é linda demais, mesmo sendo um garoto...! – Dizia. – .... E eu nunca senti essa vontade por outro cara. Até me assusta...

Louise: - Tudo tem sua primeira vez. – Dizia a boneca toda safada já. – Acha que consegue...? – Mandou a provocação junto daquele olhar sexualmente fatal.

Ele se ajoelha de frente para a bunda da Louise, a vontade é tanta que o coração do cara está a mil...

Neil: - Eu posso mesmo usar minha língua...?!

Louise balança a cabeça em sinal positivo e Neil começa a roçar sua língua quente e molhada no cuzinho dele. Neil passa a língua delicadamente ao redor, apenas para prolongar mais um pouco as vontades...

Louise: - MMMM~~~

Neil: - Nunca imaginei que um dia faria isso com um cara. – Pensava enquanto lambuza o cu da boneca.

Ele pega com vontade naquelas coxas, enchendo as mãos, se acabando na passada de língua no ânus da Louise...

Louise: - MMM!

Neil então, enfia a língua dentro...

Neil: - Esse rabo é muito bom. – Pensava todo concentrado.

O pau da Louise a essa altura já está duro feito pedra, e “babando” de prazer...

Louise: - AH! Os homens não conseguem resistir ao meu rabo! Eles adoram... – Pensava toda convencida sobre seus dotes.

Neil: - MMM! MM...! – Mandando haver no trabalho de língua. – Eu não aguento mais! – Pensou decido sobre o próximo passo.

Ele levanta e começa a descer a calça...

Louise: - ...? O quê?!

Neil: - Foi mal, mas eu vou foder esse cuzão!

Louise: - Isso, me coma! – Exclamou adorando a ideia.

Ele se ajeita pondo a cabeça do pauzão dele no cu da Louise...

Neil: - Vou colocar... – Disse para ir se preparando.

Ele enfia devagar e com cuidado, o rabo da Louise é bem apertadinho, e ele não está afim de acabar logo por machuca-lo...

Louise: - AH! AAHHH!!!

Neil: - .... Está bem apertado...!

Louise: - AAH!! Me abre todo, seu gostoso...!

Neil: - Eu nunca pensei que faria isso com um cara! – Pensava. - .... Mas seu cu é tão gostoso! – Exclamou mandado vara.

Louise: - AAH!! AAAH...!!

Ele puxa Louise para cima dele, eles ainda em pé, ela agarra no pescoço dele estando de costas...

Neil: - Porra! – Exclamou levantando seu top.

Os mamilos da Louise estão durinhos, durinhos...

Neil: - Você é muito linda! – Dizia enquanto acaricia seus peitos.

Louise: - AH!!

Ele agarra na cintura da Louise, metendo mais forte, fazendo a boneca se inclina para cima da pia...

Louise: - AAH!

O pau da Louise balança no ritmo forte da foda...

Louise: - AHH!! AH! Mais...! Mais! AAH!!

Neil passa a pegar mais pesado socando ainda mais forte, pegando embalo, determinado a deixar aquele cuzinho só o oco...

Louise: - AH!

A boneca está até de língua para fora, totalmente absorvida pela vitalidade forte do rapaz...

Louis: - Isso é incrível...! AAH! Seu pau~~ AH! ... Tão gostoso! AHH...!!

Neil: - Não faz tanto barulho. Se seu pai acabar chegando do nada e pegar a gente assim, ele me mata...!

Louise: - AHH!! Eu não ligo! AH! AH...!! – Exclamou com os olhos revirados.

O pau do Neil está todo melado, ele agarra no rosto da Louise, botando rola para dentro com toda força. Com toda a euforia, ele não está mais nem aí se está machucando ou não, o buraquinho da Louise. Que a essa altura virou um buracão... (risos ;)

Louise: - AH!! AH! AAAHH...!! AH!

Neil: - AHN! Sua “buceta” de menino é tão boa...!

Louise: - AH! Me fode! AAH...! AH!!

Neil: - AHH! Estou gozando!

Louise: - AAHH!! AH! AH!! AHH…!!

Neil: - …. Gozar!!! - Ele encheu o cu da bonequinha fogosa.

Ainda socava mais só para garantir que não desperdiçaria nada. Ele tira devagar todo aquele volume de dentro da Louise, deixando escorrer tudo de dentro daquele cu, que se contraia como se estivesse agradecendo pela trepada gostosa...

Louise: - AAH! ~ S2 – Encantada com o que aconteceu.

Horas mais tarde, depois que James voltou para casa. O paizão da Louise notou um ar diferente entre os dois...

Louise: - .... Você é tão fofo! ~ S2 – Dizia agarrada ao braço dele, toda derretida pelo cara.

Neil: - ... – Com certa vergonha.

James: - Porque meu filho está assim tão legal contigo?

Louise: - ~ S2

Neil: - Talvez porque ele seja gentil demais!

Avaliações

Só usuários podem votar 0 de Avaliações

Comentários 1

Sobre este conto

Autor anônimo
Categoria Transexuais
Visualizações 1869
Avaliação 0 ( votos )
Comentários1
Favorito de0 Membros
Contador de palavras: 2946
Tempo estimado de leitura: 15 minutos

Afiliados